domingo, 8 de junho de 2014

Corrida de Santo António (BES Run Challenge 2014 Lisboa)

Estávamos em Novembro do ano passado. Com dores que teimavam em não passar e a esperança de voltar a correr a diminuir cada vez mais, marquei mais uma consulta num fiseatra para ter mais um opinião e soluções para a minha situação. Durante e depois da consulta senti-me pior do que nunca desde que comecei a correr. Disseram-me que deveria deixar de correr e que nem tinha estrutura física para este desporto. 

Este foi o terceiro ano consecutivo que participo na Corrida de Santo António. Sempre com boa companhia e boas memórias, este ano não foi exceção. Bom tempo, excelente ambiente, e muita gente nas ruas, coisa rara nas provas da nossa capital. 

Fonte: A Minha Corrida
Esta prova era o meu grande objetivo deste ano. Com a minha melhor marca aos 10 quilómetros batida (37'02'') à um ano exato, queria superar-me neste mesmo sítio. Sabia que era difícil, sabia que o sofrimento ia ser muito, mas o tempo podia ser batido. 

Depois de uma partida rápida, o ritmo estabilizou com valores que me iam permitir baixar a marca mas "à rasca". Com o calor a apertar, no primeiro abastecimento ainda molhei a cabeça mas pouco ajudou para arrefecer. A partir do retorno comecei a sentir-me mais lento e o cansaço começou a apertar. Ouvi um atleta que seguia do outro lado a dizer as posições e soube que ia na 42ª posição. Um pequeno grupo onde seguia a primeira atleta feminina ultrapassou-me e eu após controlá-los à minha frente, decidi aproveitar o andamento deles e consegui acompanhálos. Só no fim do 8 quilómetro os consegui ultrapassar, acelerando o passo na inclinada rua da prata para último quilómetro onde fui buscar energias não sei bem onde. 

Passou-me tudo pela cabeça antes de contornar o Rossio e ver o relógio da meta: não vou conseguir, vai ser à rasca, é claro que vou conseguir... E consegui! O relógio marcava 36'37'', baixando assim para a tão ansiada casa dos 36 minutos. Fiquei em 29º (de 2777) e em 9º do escalão (de 583), percebendo assim que ultrapassei 13 pessoas desde o retorno. 

Fonte: A Minha Corrida
O primeiro parágrafo ilustra aquilo pelo que passei na segunda metade do ano anterior, até decidir pegar nos ténis e voltar a correr indo contra tudo e contra todos. Mais de seis meses depois aqui estou sem paragens, batendo marcas pessoais, superando-me em treinos, em provas, surpreendendo-me com a própria capacidade física do meu corpo. 

Quanto às pessoas que me queriam fazer desistir: Que La Chupem e que La sigam Chupandando!

 

7 comentários:

  1. Muitos parabéns! Grande inspiração para todos!

    Eu comecei a correr há 4 meses. No sábado também fui e bati o meu humilde record pessoal, que está agora em 52"08'. O anterior record estava em 54"05, por isso nem sei como consegui tirar tanto tempo.

    É costume partilhares treinos com o pessoal mais inexperiente? Gostava de poder ter conselhos de pessoas mais experientes como tu!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Parabéns! Apesar do calor que estava, ainda conseguiste bater o teu record... acho que há aí margem para baixar mais essa marca ;)

    Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Luís! Talvez haja margem, mas não sei será esta época! E também não são todas as provas que têm um percurso tão plano :)

      Um abraço!

      Eliminar
  3. ahahaha brutal, muito bem! Tempo canhão e com dedicatória!! Espetacular, parabéns El Pibe!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Filipe! Só disse aquilo que sentia :)

      Um abraço

      Eliminar
  4. Ahh, Valente!
    Tempo e posição muito bons!
    Quanto à dedicatória, deve ser parte da satisfação de voltares a fazer o que gostas e como gostas.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado! Sim sem dúvida, voltar a fazer aquilo que gosto foi uma alegria!

      Um abraço

      Eliminar