segunda-feira, 25 de março de 2013

Mini Maratona Vodafone 2013

E como prometido cá venho descrever esta pequena prova!

Após um ano de ter feito a minha primeira meia-maratona (e praticamente primeira corrida a sério), eis que voltei para a minha 'querida' ponte 25 de Abril. À um ano atrás nunca me passaria pela cabeça que um ano depois já tinha feito tantas provas e ter atingido tantos objetivos. Mas na verdade, também nunca me passaria pela cabeça que não poderia fazer os meus 21,1 km por estar a recuperar de uma lesão. 

Mas tristezas à parte, eu e mais as minhas corredoras preferidas lá fomos para mais uma corrida na ponte e até o tempo ajudou à festa. Sempre a ameaçar chover, a verdade é que acabou por estar uma temperatura bastante agradável, existindo apenas as nuvens para estragar a beleza da vista da ponte.

Sobre a minha prova (se é que se pode chamar a isso o que eu fiz), correu dentro do possível. Os primeiros 5 quilómetros foram uma prova de obstáculos, tal foram os ziguezagues que tive de fazer para ultrapassar as pessoas. Só depois das águas é que consegui realmente acelerar e impor algum ritmo e testar realmente qual era o meu estado atual físico depois de tantas semanas a debelar a contratura. Fiz os últimos 3 quilómetros abaixo dos 4:00/km e sentido-me muito bem mesmo, apenas com umas dores pontuais do tendão a queixar-se do esforço que já não sofria à dois meses. 

Na estreia dos meus Adidas Adizero Mana 7, aconteceu-me uma estreia: à saída da ponte, os atacadores desapartaram se! Pela primeira vez tive uma paragem forçada numa corrida e fiquei pior que lixado. Mas pronto fora isso, gostei bastante dos ténis e acredito que com mais andamento se tornem ainda mais confortáveis. Mas depois de mais uns testes, dedicarei um post aos mesmos.

Notas para a organização: então a mini maratona não eram 7,2 quilometros? Gostava de saber que medições fizeram, pois na verdade era perto dos 8 quilómetros (havendo pessoas que acabaram com essa distância nos relógios). E para quando vias para quem quer andar, e outras para quem quer correr? Simplesmente horrível o andamento e o comportamento das pessoas até ao primeiro abastecimento. Pararem para tirar fotografias em cima da ponte? Andar em grupos gigantescos não deixando ninguém passar? Pensem nas coisas que fazem. Depois de muitas provas com âmbito mais local, finalmente percebo o porquê dos atletas não gostarem deste tipo de provas por causa da confusão. É que se antigamente eu gostava das provas por causa do convívio  agora gosto pela competição e para superar os meus limites e assim é completamente impossível.

Por fim, resta-me agradecer ao meu primo por me ter arranjado o dorsal, e pela companhia das minhas duas corredoras preferidas (venham lá aos sinos :p). E por falar nos sinos, daqui a duas semanas, Mafra espera-me para sofrer durante 15 km :)

Beijinhos e abraços pessoal, boa semana de treinos a todos!



4 comentários:

  1. Parabéns pela recuperação :)

    tb não percebo mm as pessoas..só a quererem passar para ficar mm na frente e depois nem se quer vão correr. Depois admiram-se de serem atropelados. E ficam mm todos lixados lol não têm mm noção.. E pais com filhos bué pequeninos e tudo.. Mas pronto, isto será mais falta de civismo das pessoas q culpa da organização. Mas vá, pode ser que para uma próxima vez façam algo, o que duvido.. Fosse como fosse, as pessoas acabariam sempre por não respeitar as regras..

    Bons próximos treinos :p

    Lá estaremos em Mafra para morrer um bocado..lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado!

      Sim em grande parte é falta de civismo, mas que era evitado por um maior planeamento e vias próprias criadas pelo menos em cima da ponte pela parte da organização.

      A ver se para a próxima já vou matar-me para as séries com vocês :D Lá estaremos em grande em Mafra!

      Eliminar
  2. Relativamente à distância quando fiz a family race englobada na maratona do porto em 2011 em vez dos 14kms corri 15; mas é normal haver ligeiras diferenças.
    Quanto às pessoas é relativamente fácil para a organização superar essa situação, basta colocar como se faz em algumas meias maratonas as pessoas conforme o tempo que preveem fazer, e para a corrida mais curta fazer também o mesmo; quem quer correr fica à frente, quem quer andar e tirar fotos fica atrás.
    Por isso prefiro meias maratonas mais calmas (fiz vigo-bayona e eram 4000 e fez-se bem) e provas populares
    Abraço e boas corridas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes meus apontamentos, também são apenas pormenores na excelente organização que estas meias maratonas têm (40.000 pessoas e estar tudo bem organizado é obra).

      Mas sim, provas mais calmas são o melhor sem dúvida. Isso ainda foi o que mais gostei na meia de Lisboa em Dezembro, porque de resto a organização foi horrível.

      Um abraço e bons treinos!

      Eliminar