segunda-feira, 23 de março de 2015

25ª Meia Maratona de Lisboa

Todos os anos prometo a mim mesmo que nunca mais vou às provas das pontes. Todos anos acabo feito parvo em cima da ponte com a cabeça feita em água por estar farto de estar ali à espera da partida. Este ano não foi diferente. A grande diferença foi estar quase 2 horas antes do outro lado do rio e mesmo assim perder quase um minuto no 1º km de prova. Bem, mas vamos ao início.

Apesar de não querer fazer mais nenhuma meia maratona esta época, aceitei de bom agrado ir a esta prova pelo Weventual mas sempre com a ideia de fazer um bom treino. Depois de gorada a possibilidade de ter a companhia do André Filipe (as melhoras!) surgiu a oportunidade de acompanhar os Pedros Mota e Cavilhas na sua primeira incursão por esta prova. Eles queriam andar a um ritmo que me agradava para fazer um treino mais puxado e assim podia ajudá-los a cumprir o seu objetivo.

Partida dada à hora marcada e siga fazer a prova de obstáculos. Obstáculos? Sim, aquelas pessoas que estão na denominada zona VIP que estão ali não sei bem a fazer o que (sim eu sei, a dar dinheiro à organização ou simplesmente por cunha) e que vão apenas para ver a vista da ponte 25 de Abril. Depois 1º km a coisa acelerou e foi altura de recuperar o tempo perdido. Tive alguma dificuldade em acompanhar os primeiros quilómetros dos Pedros, quer pela falta de aquecimento (eu demoro muito tempo a atingir certos ritmos), quer por estar com o chip de competição desligado.

Fonte: Portugal Running
Sim parece que comi alguma coisa estragada como alguém já disse :)
Até cerca dos 15km o ritmo saiu confirme planeado, entre os 3:47\km - 3:50\km. Depois o Pedro Mota começou a perder o ritmo e após algum tempo de indecisão, decidi ficar para trás para o ajudar. Fiz aquilo que podia para o motivar e ele recuperou o ritmo até aos 18km em que deu o estoiro por completo atirando o ritmo para ligeiramente acima dos 4:00\km. Mesmo assim fiquei com ele não o deixando abrandar demais (sou muita chatinho eheh) e no último quilómetro o Pedro foi buscar as últimas forças que tinha e passámos a meta com 1h22'02''. O tempo perdido em cima da ponte e aqueles quilómetros ligeiramente mais lentos foi o suficiente para o objetivo deles não ser cumprido. De qualquer forma tiraram muitas lições desta prova, sendo a principal o facto desta prova não ser para tempos (ser para correr já é uma sorte..).

Fonte: Correr Lisboa
Bem, sobre a organização da prova... para quando uma organização digna da tão falada insígnia IAAF Gold Label? Chega a ser ridículo o que se passa nesta prova. Coisas tão simples como blocos de partida, partidas diferenciadas, uma possível redução do número de inscrições, será assim tão difícil de fazer isto? Porra é mau de mais. É que os efeitos colaterais de não fazerem estas coisas são enormes. E depois claro que há pessoas que fazem uma vez e juram para nunca mais. Mas claro por cada um que não se inscreve, aparecem mais quatro ou cinco que estão desejosos de fazer a sua primeira meia maratona.

Querem saber uma coisa? Existem meias com muito menos gente e o sentimento de objetivo cumprido vai ser igual! Eu ainda gostava de saber como é que alguém é capaz de falar mal da Meia Maratona dos Descobrimentos. Este ano até a proeza de darem menos coisas (não que eu participe nas provas por causa disso, por mim até com a tshirt podem ficar) que os Descobrimentos conseguiram e supostamente era a edição ultra especial 25 anos. Bem e vou-me calar porque muito ainda haveria para dizer e vocês já deixaram de ler este post à muitas linhas atrás :)

Por fim quero agradecer a todos os que deram força, mesmo fazendo um treino é sempre bom ouvir palavras de incentivo. Desta vez, tentei ser mais efusivo que o normal e espero ter retribuído à altura :)

Para a semana, XV 12km Salvaterra de Magos. Vai ser um grande desafio! Até lá!

Resultados: 25ª Meia Maratona de Lisboa

13 comentários:

  1. Concordo Vítor! Esta foi a minha primeira meia-maratona por isso não sei como terá sido em anos anteriores, mas achei o 1º quilómetro muito mau... Vi muita gente que claramente não ia lá para correr, a andar calmamente no alcatrão enquanto que quem queria correr alguma coisa tinha de sacrificar os pés na grelha da ponte :/ No meu caso talvez tenha sido positivo ter feito esse 1º km a um ritmo mais baixo já que ainda não tenho bem a noção e podia ter chegado mais cansado na parte final, mas para quem leva isto mais a sério entendo completamente a frustração... Mais uma vez, boa sorte para os 12Km em Salvaterra! Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para a próxima que isso acontecer ainda vais ficar mais frustrado porque acredito que já vais ter um andamento mais rápido. Enfim eu já sei para o que vou mas acabo sempre por me chatear.

      Obrigado! Abraço

      Eliminar
  2. Por acaso, quando nos cruzámos, percebi que ias "lento". Agora percebo porquê.
    Mas se foi um bom treino é isso que se quer. ;)
    Abraço!

    ResponderEliminar
  3. E pronto, meu caro Vitor! Está tudo dito... Exceto que é sempre um enorme e grato prazer correr com amigos que não nos deixam cair nas mais duras provas, neste caso também literalmente... ;) Um gesto de grande camaradagem que me fará esquecer rapidamente o que de menos bom teve esta meia maratona, já por ti referido. Obrigado mais uma vez, e aquele abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero bem que sim, foi uma prova que correu mal, mas muitas mais virão e com recordes para bater :)

      Um abraço!

      Eliminar
  4. Para a organização interessa a elite para fazer bons tempos (como foi o caos) e o número de inscritos. Eu não percebo nada disto, mas acho que com caixas de partida por tempos a coisa melhorava significativamente, e toda a gente ficava mais satisfeita, os que vão para correr para determinado tempo e os que vão para se divertir.
    Força para Salvaterra!!
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora nem mais. Não percebo qual a dificuldade em implementar isto.. Tanta organização que já o fez.. Enfim.

      Obrigado! Um abraço

      Eliminar
  5. Isto parece o meu relato do ano passado eheh Com a diferença que passei a meta quase meia hora depois da partida! A minha conclusão é a mesma que a tua: não é uma boa prova para tempos, e até correr é dificil! As soluções que apresentas são tão simples e obvias que até chateia! MAs aí tinha que se diminuir o número de inscritos e pelos vistos a tendencia é precisamente a contrária, vá-se lá saber porque...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Yap exatamente, acho que daqui a dez anos chegam aos 50000 em cima da ponte :)

      Mas a questão nem está ai, até podiam por os 35000 mas que os metessem com organização. Enfim.

      Um abraço!

      Eliminar
  6. Belo treino Vitor! :)

    Também concordo contigo em relaçao à organização da partida, sendo para mim um dos pontos a corrigir! As caixas por tempo resolveriam muita coisa, ou quase tudo!

    Continua a dar-lhe de força! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Luis!

      Caixas por tempo, partidas diferenciadas, etc, etc. Coisa tão pequenas e que não lhes roubavam o lucro nem o número de inscrições..

      Abraço!

      Eliminar
  7. Alias nem só não lhe roubavam o lucro, como faria com que aqueles que gostam verdadeiramente de correr voltassem a participar na prova.

    Eu penso exactamente com o tu, talvez consigas perceber mais a minha frustação/ironia de leres as palavras que escrevi no dia da prova. Se não te importares espreita lá na minha xafarica.

    "Partida dada à hora marcada e siga fazer a prova de obstáculos. Obstáculos? Sim, aquelas pessoas que estão na denominada zona VIP que estão ali não sei bem a fazer o que (sim eu sei, a dar dinheiro à organização ou simplesmente por cunha) e que vão apenas para ver a vista da ponte 25 de Abril" Eu acho que só neste paragrafo tu dissestes absolutamente tudo o que há a falar sobre esta prova!

    Eu sou daqueles que participo todos os anos, apenas e exclusivamente porque a entidade patronal me oferece o dorsal. E todos os anos, apesar de gostar de correr em cima da ponte, todos os anos está pior por excesso de "população"
    Eu este ano só consegui "começar a correr" quando já estava a chegar a Algés, até lá foi treino de fartleck.

    Abraço

    ResponderEliminar