sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

41ª São Silvestre da Amadora

A primeira vez que eu ouvi falar na São Silvestre da Amadora deveria ter por volta dos meus 19/20 anos. Na altura correr para mim era impensável, desporto era pouco e preguiça era muita. Estava no meu caminho de quilo a quilo chegar aos meus célebres 80 quilos. Alguns anos depois, 20 quilos a menos, fui correr nas ruas da Amadora com um público maravilhoso e com atletas que fazem com que qualquer um queira dar o melhor que tem dentro de si.

Fonte: RUN FFWPU
E foi assim que ao fim da tarde de ontem depois de mais um bom aquecimento junto de elementos da minha equipa e outros amigos que vamos fazendo neste mundo do atletismo, me apresentei na partida da São Silvestre da Amadora. Estava consciente dos meus objetivos mas cedo percebi que estes poderiam ser gorados. Percebi as subidas que iria apanhar pelo caminho, percebi os atletas que iria enfrentar. Os meus objetivos? Vou ser o mais humilde e sincero possível. Fazer menos de 34 minutos e ficar nos 30 primeiros (masculinos) para ficar elegível para prémio monetário. 25€ não é muito (não é nada comparado com os prémios de há alguns anos e com os primeiros prémios desta mesma prova), mas era o que eu podia ambicionar como se uma espécie de troféu fosse. Não era pelo dinheiro, era pelo simbolismo que o mesmo representava.

Tiro de partida dado, vejo logo uma grande confusão à minha frente da qual me consegui safar: alguns atletas caíram e outros caíram por cima deles. Pelo que soube no final, nada de grave. Segui num ritmo alto mas estável, muitos atletas à minha frente muitos atrás de mim. Durante alguns quilómetros fui ultrapassando alguns atletas, sempre a subir, sempre com muito, muito público a assistir e a incentivar. Pouco me interessava se nos primeiros quilómetros estavam mais a gritar pelo Benfica e Sporting, a minha mente agradecia o facto de estar a ouvir tanto incentivo.

Ao 4º quilómetro chegou finalmente uma descida. A uma certa altura tive de me concentrar verdadeiramente no caminho pois com tanta gente de um lado e do outro, mal conseguia ver os(as) atletas que seguiam uns metros mais à frente e perceber para onde tinha de virar. Deve ter sido mais ou menos nesta altura que um atleta me ultrapassou e não o consegui acompanhar. Outro tentou o mesmo mas não me conseguiu ganhar muita distância tendo apanhado segundos depois. Aproveitei o "picanço" e comecei a puxar mais.

Ao 6º quilómetro, penso que foi o quilómetro da parede. Para variar quando apanho deste tipo de coisas que não estou à espera, solto um "foda-se!!!". Normal. Começo a subir, a subir e aquela porra não acaba. Olho para o relógio quase a bater nos 4:00\km e penso que assim nem 35 minutos fazia. Ao iniciar o 7º quilómetro, o percurso fica sempre a descer mas eu ia tão picado com alguns atletas que nem me apercebia que ia a descer ou a plano, apercebendo-me apenas que ia a um ritmo bastante alto para quem ainda lhe faltava 3 quilómetros até ao final.

Fonte: Luis Duarte Clara
No último quilómetro, que já não era bem a descer (aliás tem declive positivo) tive puxar até às minhas últimas reservas. Tinha alguns atletas colados a mim e na volta à rotunda que nos leva à reta da meta ainda deu para ultrapassar um atleta que já ia em quebra.

Passei a meta com 34m17s para os cerca de 10km e 150 metros da prova. Mesmo assim, foi a primeira chapada que levei. O objetivo era abaixo dos 34 minutos, não interessa se eram 10km certos ou não. A segunda chapada foi ao ver a classificação em casa e perceber que tinha acabado nos 32º da geral (31º masculino). Ah e tal fiquei perto. Eu não trabalho para ficar perto, eu trabalho para cumprir os meus objetivos. Mas tenho de vos ser sincero antes que pensei que estou chateado. Não estou. O prazer que esta prova me deu a fazer, o público, o picanço constante com outros atletas, a dificuldade do percurso, é disto que eu gosto nas provas. Oxalá houvessem muitas assim. Obrigado Amadora!

E assim me despeço de 2015, com 4281,3km percorridos a correr, superando por quase 1000km o número de quilómetros percorridos no ano de 2014 (que já por sua vez tinha sido o meu melhor ano em quilómetros percorridos). Muitos recordes batidos, muitos objetivos cumpridos, muitas aprendizagens feitas, muitos amigos ganhos e envolvido num projeto vencedor como o da Associação Vale Grande e ainda continuando a correr pelo Weventual.

O ano de 2016 tem tudo para ser ainda melhor. Obrigado a todos pelo apoio, desejo-vos a todos um Feliz Ano e muitas e boas corridas!

Resultados: 41ª São Silvestre da Amadora

6 comentários:

  1. Muitos parabéns! Não te disse que era mítica??

    Quase que te apanhei, só chegastes 9 minutos à minha frente, ehehehehe, mas tu também andas sempre com pressa :) :)

    Muitos parabéns meu amigo e Feliz 2016 :) :)

    ResponderEliminar
  2. Mais uma grande prova!

    O desejo dum 2016 ainda melhor!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Espectacular o teu ano, e esta prova tb.
    Grande abraço e mais uma vez, o teu 2016 vai ser em cheio

    ResponderEliminar
  4. Muitos parabéns por um grande ano! Feliz 2016! Tudo de bom!

    Abraço
    Paulo Sousa

    ResponderEliminar
  5. ". Ah e tal fiquei perto. Eu não trabalho para ficar perto, eu trabalho para cumprir os meus objetivos. Mas tenho de vos ser sincero antes que pensei que estou chateado. Não estou. O prazer que esta prova me deu a fazer, o público, o picanço constante com outros atletas, a dificuldade do percurso, é disto que eu gosto nas provas"

    muito bom!

    Abraço e bom 2016

    ResponderEliminar
  6. Obrigado a todos pelos comentários, um feliz ano 2016 a todos!

    Um grande abraço!

    ResponderEliminar