segunda-feira, 22 de maio de 2017

GP Estafetas - Associação Vale Grande

Uma loucura: fazer renascer uma das provas mais conhecidas e antigas do concelho de Odivelas.
Duas loucuras: organiza-la e corrê-la.  

Este artigo já deveria ter sido feito há quase duas semanas. Quis que as ideias assentassem nos dias a seguir e depois alguma preguiça impôs-se. Sim também tenho direito a ser preguiçoso!

Então vamos lá! 

Correr no GP Estafetas - Associação Vale Grande


Quase em cima da hora do autocarro para levar os atletas para ponto da passagem de testemunho, cheguei com o Rui Martins à zona da partida. Equipei-me à pressa, pus o dorsal e arranquei acompanhado do grande Paulo Ramos para a zona do autocarro. Alguma palheta e entramos no autocarro. Uns minutos depois da hora marcada dei ordem ao motorista para arrancar. O autocarro estava agradavelmente cheio. Primeira história caricata: durante a viagem começo a olhar para os ténis dos atletas e vejo uma cena branca... esqueci-me do chip! Como é que alguém que é da organização se esquece do chip! Bem mais tarde se iria resolver, pois ali no autocarro já não o podia ir buscar. 

Chegados ao local da transição do testemunho, segui com o Paulo para fazer uns minutos de aquecimento. E começa a segunda história caricata. Passado uns minutos começamos a ver os primeiros atletas a chegarem. Seguimos para a partida quando reparo em algo errado: os atletas não estavam a passar por dentro do pavilhão multiusos de Odivelas como seria de esperar. Vou até ao outro lado da estrada e mando uns berros a tentar perceber o que se passava. Ao mesmo tempo começo a ouvir "oh Vitor! oh Vitor!" e de repente percebo que o meu colega de equipa Luis Vasconcelos já estava à minha espera para me passar o testemunho. À conta desta brincadeira ele estava há mais de 30 segundos para me dar o testemunho. Na 2ª parte do artigo conto o que se passou.

Fonte: Marcelino Almeida
Arranquei num ritmo alto e rapidamente percebi que era um ritmo bem mais alto do que aquilo que eu iria aguentar. Os três dias antes foram de umas boas férias pelo norte do pais só a comer e beber. Tinha que resultar mal. Eu sabia como era o percurso no papel. Sabia como era o percurso de carro. Não fazia ideia o quão duro era o percurso a correr. 

Fonte: Edgar Magro
Ao acabar o 1º quilómetro começou a subida que praticamente durou até o final da prova. Enquanto corria na zona das Colinas do Cruzeiro, os prédios faziam sombra e não sentíamos o calor brutal que já se fazia sentir (de notar que desde o início impusemos a ideia da prova começar às 9:30). Mas depois da zona das Colinas, foi sempre a levar com sol na cabeça. Foi por esta altura que passo pelo carro da organização com o Rui de fora da janela a incentivar o pessoal. Eu mando-lhe um berro "o pavilhão está fechado!!!" e vejo a reação de surpresa dele. Correr e organizar uma prova. Estava a ser uma pequena aventura.

Não há muito mais a contar, seguia sozinho, sempre a subir e a subir, e estava a andar a ritmos decepcionantes. Não tinha pressão de nenhum atleta atrás, mas também não vislumbrava ninguém à minha frente. No último quilómetro pensei logo: a meta é ao lado da associação e foi lá numa sala que deixei o meu saco com o chip. Então fiz o que podem ver no video em baixo.


Passo a meta quase em sprint, passo o testemunho ao meu colega de equipa José Geada e digo para o olhar estupefacto do pessoal da WeRun, grito que não tinha chip e continuo a correr para dentro da Associação e subo as escadas feito maluquinho. Agarro no chip e desço as escadas e vou passar o chip pelas baías com os sensores. E só naquele momento acabou a minha prova! Deu para uma vitória por equipas mistas, pois a minha equipa contava com a madrinha da prova Lucilia Soares.


Fiquei contente com a vitória, não tanto com o rendimento. Mas neste dia a minha preocupação era outra. Queria era que a organização da prova corre-se bem.


Organizar o GP Estafetas - Associação Vale Grande


A ideia de organizar esta prova começou há mais de um ano. O problema foi transpôr esta ideia para o papel. Depois de muitos meses de adiamentos, resolve-mos meter as mãos à obra. E aqui tenho de deixar já uma meção especial à WeRun. Eu mandei muitos mails para empresas de organização de provas. A WeRun foi praticamente a única que me respondeu. O Samuel Valério desde cedo se interessou pelo projeto e ajudou-nos a construir esta prova de raiz. Um grande obrigado!

Muitos encontros, muitas ideias debatidas, muitas ideias desfeitas e soluções encontradas. Chegou ao insólito (sim mais uma situação...) de eu ter marcado férias para o dia da prova e só me ter apercebido algumas semanas antes. Deu para tudo.

Chegou então o dia da prova. Toca o despertador às 6 da manhã para ir pôr indicações nos principais cruzamentos para os atletas que vinham de carro não se perderem. Antes das 8 da manhã já estava tudo a ser montado ao pé da Associação do Vale Grande. Faltava apenas ir reforçar as setas no chão ao longo do percurso para não haver quaisquer dúvidas de qual o caminho a seguir pelos atletas. Foi uma alegria esta viagem, a PSP a passar por nós e a fechar os olhos à forma como nós íamos no caro eheheh.


Fonte: Marcelino Almeida

Fonte: Marcelino Almeida

Fonte: Marcelino Almeida
Quando voltámos à Associação, já tudo estava a decorrer sobre rodas. Muitos atletas, muita cara conhecida. Obrigado aos muitos atletas que abdicaram de provas mais conhecidas para poderem estar presentes! Já praticamente todos os dorsais tinham sido recolhidos no dia anterior. Foi tempo de eu me ir equipar para correr e com a cabeça a mil nem me lembrei de pôr o chip.

Fonte: Marcelino Almeida
Avançando no tempo, quando acabo a minha prova e trato da situação do chip. Falei logo com o Samuel e fiquei mais descansado quando soube que a questão do pavilhão estava resolvida. Problemas (sérios) na comunicação com a PSP, fez com que um agente tenha fechado a entrada para o pavilhão. Situação rapidamente corrigida pela Câmara Municipal de Odivelas. Enfim, agora até quando estou em organização de provas tenho problemas com a PSP de Odivelas. Não tenho descanso.

Visto que a organização da prova estava assegurada, decidi fazer mais uns quilómetros e acompanhei os dois últimos atletas da prova. Chegados ao local da transição, ainda recebi umas bocas em género de ameaça que aquelas equipas poderiam ser desclassificadas por eu os ter acompanhado aqueles atletas. Prefiro não comentar esta situação de tão ridícula que foi. Era um dia de festa, não estava para me chatear com coisas insignificantes.

Fonte: Marcelino Almeida
Fonte: Marcelino Almeida
Fonte: Marcelino Almeida
Fonte: Marcelino Almeida
Tal como delineado, estava o autocarro à espera dos últimos atletas para voltar ao local de partida e pude dar ordem para o mesmo arrancar. Chegámos a apanhar o último atleta à entrada do último quilómetro e pedi ao motorista para sair do autocarro para o ir acompanhar. Na companhia do Paulo Monteiro, lá seguimos com este atleta por ali acima.

Seguiu-se a entrega de prémios, sendo uma festa pois uma prova deste tipo obriga sempre a todos os atletas de cada equipa a irem ao pódio.

Acho que foi uma manhã bonita. Recebi muito feedback positivo e algumas critícas construtivas. No fundo, acabou por correr bem. E em muito se deveu à experiência da equipa da WeRun. Tenho de agradecer também à Câmara Municipal de Odivelas e a todos os patrocínios pelo apoio que deram a esta prova. Foram eles que tornaram esta prova possível!

Será que irá haver 2ª edição? Vamos todos acreditar que sim! Iremos trabalhar para isso!




12 comentários:

  1. Vítor, muitos parabéns pela iniciativa e pela organização da prova! Há imenso tempo que queria participar numa estafeta e fiz aqui a minha estreia em provas do género. No geral gostei da prova, mas houve naturalmente algumas situações a rever e a melhorar para a segunda edição - que espero sinceramente que seja realizada!
    Eu sei que não é fácil, acabei de fazer parte da organização de uma prova também, mas quando as coisas são feitas por atletas para atletas há sempre um outro cuidado para que tudo corra bem. E por falar em comentários insólitos, ouvi uma frase também meio estranha enquanto esperava pela minha vez. Enfim.
    Lembro-me bem de te ver chegar e continuar a correr por ali fora! Agora percebo a razão!!
    Um abraço e continuação de bons treinos e provas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes de mais obrigado pelo encorajamento para uma nova edição!

      Não me queres falar um pouco sobre as críticas que tens a apontar? :) E já agora o que frase é que te disseram que foi insólita?

      Um abraço!

      Eliminar
    2. Enviei-te e-mail ontem à noite para ser mais fácil.
      Abraço!

      Eliminar
    3. Sim eu vi, obrigado! Quando puder já te respondo :)

      Um abraço

      Eliminar
  2. Parabéns pela organização desta prova. São sempre bem vindas novas iniciativas. É uma prova com um percurso bastante exigente e por essa razão este ano limitei-me a fotografar;) Obrigado pelos créditos Vítor. Apanhei-te a levitar, Eheh! Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Edgar! Sim era bastante exigente, e pude experiênciar o mesmo em primeiro pessoa ehehe

      Obrigado pela reportagem fotográfica!
      Um grande abraço

      Eliminar
    2. Já agora deixo um reparo para a próxima edição (Sim porque certamente para o ano irá haver) Foram muitos os atletas que me perguntaram "agora é para onde?". Não devem ter reparado na seta que estava no chão (mas realmente acho que passava despercebida). Mas aqui entre nós acho que só queriam confirmar que era mesmo para fazer aquela enorme subida!! Ehehe!!
      Um abraço

      Eliminar
    3. Obrigado pelo reparo Edgar! Vamos ter isso em atenção para a próxima!

      Abraço!

      Eliminar
  3. Muitos parabéns pela iniciativa e pela experiência "dois em um" de correr e organizar. Claro que no meio de tantos afazeres, alguma coisa tinha que ficar para trás, e esse foi o caso do chip :)

    Ficaste com a experiência de como é estar do lado de dentro e, no teu caso, ampliado pela corrida. Fez-me lembrar aqueles que no futebol são jogadores e treinadores.

    Um abraço e força para a 2ª edição!

    ps - Do que me apercebi, há uma coisa que podem melhorar para o ano. Anteciparem em muito mais tempo a divulgação da prova. Hoje em dia os calendários estão tão cheios e com provas marcadas tanto tempo antes e com preços promocionais x meses antes, que quanto mais cedo divulgarem, melhor. E mais premente se torna no vosso caso pois é necessário articular com vários atletas. Basta um ou outro já estar comprometido com outra prova e a equipa não se pode formar (foi o caso da nossa)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado João! Foi realmente uma situação peculiar e que não sei se quero repetir. Há que ter o foco numa só coisa!

      Sim sobre antecipação da divulgação da prova, na próxima edição vamos ter muito mais cuidado e com certeza haverá muitos meses de divulgação antes da prova.

      Um abraço

      Eliminar
  4. Parabéns Vitor, organizar uma prova não é nada fácil, muito menos agradar a todos. Organizar e correr ao mesmo tempo é que é complicado - eu sei que custa ficar de fora e ver os outros a correr mas é a forma de ter tudo o mais controlado possível.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Carlos. Tu já estás mais que calejado em organização de provas!

      Claro concordo contigo e não era de todo planeado que eu corresse. Foi uma coisa decidida nos últimos dias por falta de um membro numa equipa do Vale Grande. Preferia ter ficado de fora mas lá teve que ser :)

      Um abraço

      Eliminar