segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

18º Circuito do Centenário da Cooperativa "A Sacavenense"

Eis que começa finalmente um dos meus objetivos de 2018: o Troféu “Corrida das Coletividades do Concelho de Loures”. Sinceramente já não é a primeira vez que inicio um troféu e penso "agora é que é, vou fazer isto a sério!". Desta vez a determinação é diferente e sinceramente não pensem que tenho alguma motivação ou sinal do universo para querer fazer o troféu até ao fim. É um objetivo e simplesmente quero cumpri-lo.

Como sempre, a primeira prova do troféu é em Sacavém com o Circuito do Centenário da Cooperativa "A Sacavenense". Foi a terceira vez que participei na prova e foi a primeira vez que não senti medo da prova. Sim tem umas boas subidas, sim é uma prova rápida e curta, mas na verdade não é nenhum bicho papão.

Cheguei cedo com o Rui Martins a Sacavém, fomos levantar os dorsais de toda a equipa e depois de muita conversa, fomos equipar-nos para dar início a um bom aquecimento pois o Rui precisava de meter quilómetros (outros objetivos...). Esta prova é bem reputada e tem prémios monetários, o que trás muitas caras conhecidas da "gama alta" dos atletas amadores para a prova. A poucos minutos do início fui para a partida e em pouco tempo estava a fazer a terminar o primeiro quilómetro com uma média de 3:12/km. Poderia ter sido mais rápido mas a confusão inicial não deixou.


Segui com um grupo com cerca de 4 atletas durante mais um quilómetro e depois percebi que me estava a retrair. Meti "uma abaixo" e passei o grupo sem que eles me seguissem. Até ao final da primeira volta (são duas voltas com sensivelmente 3 quilómetros) ainda ultrapassei alguns atletas. Passámos outra vez pela avenida principal o que dá uma injeção de energia extra pois está muita gente na rua a apoiar, mesmo que essas pessoas sejam praticamente todas treinadores e outros atletas que fizeram as provas dos escalões mais baixos.

A primeira volta passou tão depressa que percebi que teria de apostar tudo o que tinha na segunda volta ou então não me ia sentir satisfeito no final da prova. Sinceramente já nem me lembro quantos atletas ultrapassei! 3? 4? 5? Não me lembro! Estou a ficar velho!


Sei perfeitamente aquilo que assisti à entrada do último quilómetro. Um assunto mais que esmifrado por essas redes sociais é o facto de alguns atletas atalharem pelos passeios. A situação a que assisti foi a dois atletas veteranos que seguiam juntos (um mais à frente que o outro) com uma boa distância de mim. O atleta que ia um pouco mais atrás cortou uma curva de 90º pelo passeio e quando eu faço essa curva observo que esse atleta já seguia à frente do outro. Passado 200 metros já seguia um ao lado do outro mas o que é certo é que no final o atleta que atalhou pelo passeio ficou à frente do outro por muito pouco. Palavras para quê? Ainda falei com o atleta penalizado no final da prova mas ele não se demonstrou preocupado por isso não vou ser eu a preocupar-me. Se acontecesse comigo não sei qual seria a minha reação.

Segundo o público presente terminei em 12º da geral e para efeitos de classificação oficial terminei em 7º do escalão sénior. O tempo foram uns agradáveis 21m21s para cerca de 6.5km, o que dá uma média de 3:18/km segundo o Strava/Garmin. Face a este resultado tenho que estar mais que satisfeito! Olho para o tempo do ano passado e vejo que melhorei 2 segundos, o que basicamente é irrelevante. Sei que poderia ter feito melhor na primeira volta mas paciência!

Esta foi a última paragem deste mês de janeiro e terceira prova em fins de semana seguidos. Já te chega não? Sim chega, por isso agora é voltar a treinar forte e feio para dia 18 de Fevereiro voltar à competição com a 2ª prova do Troféu de Loures!

Resultados: 18º Circuito do Centenário da Cooperativa "A Sacavenense" (equipas)

11 comentários:

  1. O que nos move são os objetivos!
    Força nisso :)
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Parabéns!! Foi uma boa prestação!! Quanto ao chico espertismo dos atalhanços, já o senti na pele por aqui numa prova concelhia e jurei para nunca mais... Perdi um pódio dessa forma, sendo que o 3.º fez menos 500m que eu. A justificação foi: «Não há fita podemos cortar caminho!»
    Enfim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Miguel!

      Bolas menos 500m é obra... isso é uma grande injustiça mesmo. E ainda é mais incrível a organização não ter feito nada... mas ainda me choca mais ver atletas fazer este tipo de merdas, não entendo como podem ficar a "sentir-se bem" depois de ganharem a alguém com batota.

      Eliminar
  3. Muito bom! Isso dos cortes nas provas das localidades e afins... Enfim...
    Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo. Esta prova até é bastante controlada e tem bastante gente a ajudar mas naquele ponto não havia ninguém a controlar e sinceramente mesmo que houvesse não sei se tinham feito alguma coisa...

      Abraço!

      Eliminar