sábado, 5 de maio de 2018

Jornada dupla: 20ª Milha Urbana de Moscavide e 19ª Milha Urbana “Fonte das Almoínhas”

Muitos de vocês sabem que o atletismo está longe de ser a minha vida. E estas duas últimas semanas demonstraram bem isto com completa falta de tempo para fazer tudo o queria. Existem sempre coisas que acabam por ter de ficar de lado e neste caso teve de ser o blog. Mas aqui estou eu para remediar. O que vale é que foram duas milhas, não há muito a dizer!

20ª Milha Urbana de Moscavide


Para a minha primeira milha de sempre, calhou ser em Moscavide. O dia não foi o ideal (nunca é, não é?) pois tive um jantar de aniversário no dia anterior e o número de horas dormidas foi longe de ser o ideal. A hora da minha prova era tarde mas mesmo assim ainda tive direito a correria para chegar à zona da prova para dar o dorsal ao Paulo Monteiro. 

Assisti descontraído a algumas provas antes da minha e percebi que esta milha era especial. Basicamente são duas voltas a um percurso mas sempre em ida e volta o que permite uma grande concentração de pessoas a assistir, numa estrada típica de cidade, ou seja, bastante apertada.

Tempo de aquecer e ir a correr para a partida quando percebi que a prova antes da minha já estava em andamento. Muito descontração na partida! Quando estamos com bem acompanhados, o prazer de correr é outro.

Fonte: Run 4 FFWPU
A partida foi dada e não me poupei mas facilmente percebi que iam ser alguns minutos de puro sofrimento. Em poucas centenas de metros, era incrível como as sensações estavam constantemente a mudar. Acabado de fazer a primeira volta, seguia em quarto lugar. Demos a volta a meia dúzia de pinos e tempo de acelerar outra vez. É um choque ter que quase parar para dar uma volta de 180º e depois ter que acelerar para um ritmo bruto novamente.

Fonte: Run 4 FFWPU
Nos últimos 300 metros decidi dar tudo o que tinha. Acreditem: fiquei com a sensação que estava a voar. Acelerei de tal forma que sentia que os meus pés mal tocavam no chão. Cheguei perto do atleta que seguia em segundo lugar, ele "acordou" quando cheguei ao lado dele e acelerou. A surpresa veio do atleta do CDUL quando nos passa a todos e se consegue posicionar em 1º lugar. 


O meu "gás" apenas deu para 200 metros e o ritmo baixou. Acabei por passar a meta em 4º lugar da geral com um óbvio recorde à milha de 4m54s. Afinal se era a minha primeira milha, tinha que ser um recorde pessoal não era? Mas dali a dois dias, havia mais uma para fazer. Vamos lá para a Mealhada.

Fonte: Run 4 FFWPU
Resultados: 20ª Milha Urbana de Moscavide (equipas)


19ª Milha Urbana “Fonte das Almoínhas”


Esta milha embora fosse longe de casa, senti que ia jogar em casa. A milha é realizada no Parque Adão Barata que é basicamente o sítio onde eu faço sempre as minhas séries curtas. O próprio circuito da prova é o circuito que eu faço nas minhas séries. Vantagem? Nenhuma. O que conta é o que se passa em prova e os atletas que nela se apresentam.

Mesmo assim aproveitei para fazer algo que não é normal: fui a correr para a zona da prova. E já sabem o que vou dizer a seguir certo? Lá fiz asneiras a controlar as horas e consegui chegar apenas 15 minutos antes da minha prova. Pelo menos já tinha cinco quilómetros de aquecimento nas pernas.

Fonte: Maria Freitas
Tinha a motivação extra de ter a minha mais que tudo a assistir mas nem isso ajudou num bom resultado. A prova consistia num percurso em que dávamos cerca de duas voltas e meia. Eu nem isso sabia e praticamente só me apercebi durante a prova. A partida da prova foi lenta ou apenas me pareceu lenta. Seguimos sempre na frente um grupo de atletas, sem nenhuma de nós arriscar muito.


A prova não tem grande história e mais uma vez as coisas só mudaram perto do final. O grupo da frente desfez-se em poucos segundos e eu rapidamente cai para 5º lugar. Numa fração de segundo decidi que tinha de dar tudo o que podia naqueles últimos metros e mais uma vez tive a mesma sensação que em Moscavide. Eu mal sentia os meus pés a tocar no chão. Segundo o Strava (vale o que vale), cheguei a andar algumas dezenas de metros a ~2:30/km....

Recuperei um lugar e terminei novamente em 4º lugar. O tempo foram uns agradáveis 4m47s melhorando o tempo da milha anterior. Sinceramente, acabei a prova chateado porque o meu rendimento em termos classificativos tem de ser melhor neste troféu de Loures. O que tem bastante importância nestes troféus é a regularidade com que vamos às provas mas se não aliar isso a bons resultados não vou conseguir o meu objetivo: vencer o troféu.

Hoje é dia da 7ª Corrida “Rota do Queijo” de Lousa. Sei que vai ser duro mas vou ter que dar tudo por tudo para continuar na frente da classificação! Desejem-me sorte!

Resultados: 19ª Milha Urbana “Fonte das Almoínhas” (equipas)

1 comentário:

  1. Que grandes marcas!!! Essa distância é mesmo para entrar logo a matar de início ao fim.
    Muita sorte para hoje!!! Força!!!
    Um abraço

    ResponderEliminar