terça-feira, 3 de julho de 2018

39ª Corrida das Fogueiras

Sim eu sei, já prometi este artigo no domingo e só agora estou a publicá-lo. Já disse que entrei de férias da corrida? Por isso deixou de me apetecer escrever aqui e esquecer a corrida por completo. Ou então estou a dizer só asneiras. Como esquecer a corrida? Aliás, estou tão de férias que ainda hoje de manhã fui ao treino do Centro de Marcha e Corrida de Odivelas. Bem vamos lá à Corrida das Fogueiras.

Tal como aconteceu no ano passado, consegui juntar a minha claque privada toda e seguimos de carro cheio para Peniche. Este ano devido ao trabalho da minha mãe e da minha mais que tudo, saímos mais tarde, chegando apenas depois das 20h a Peniche. Com os dorsais já levantados pela minha equipa, foi tempo de nos encontrarmos para distribuição dos dorsais que faltavam. A tarefa foi algo complicada por causa do jogo da seleção e também não ajudou o facto de eu estar a stressar porque estava convencido que a prova começava às 21:15 pois era o que estava no site da Xistarca.

Já equipado, fui aquecer sozinho e com "fogo no cu". Curiosamente foi no aquecimento que fiquei a perceber que me sentia bastante bem a nível físico. E porque faço questão de referir isto? Voltando ao dia anterior, tinha no menu um treino de 40 minutos moderado. Nos primeiros minutos desse treino percebi logo que estava completamente derrotado e que me sentia sem força e pesado. O meu pensamento imediato foi que tudo estava encaminhado para fechar a época com uma péssima prova. Mas às vezes o nosso corpo brinca connosco.

A poucos minutos do que eu pensava ser o início da prova, fui para a zona da partida. Foi então que ouvi o speaker a dizer que ainda faltavam mais de 15 minutos para o início da prova... urso. Fui continuando a aquecer, fazendo várias paragens para falar com o pessoal que ia encontrando na zona da partida. Quase 10 minutos antes da partida fui para o meu bloco e percebi que tinha sido uma boa decisão pois em 2 minutos o bloco encheu por completo. A partida estava iminente, sabia que esta era a minha última prova da época e por isso iria dar tudo o que podia.

A partida foi rápida mas estável. Um bom grupo de atletas instalou-se na frente e eu segui no encalço deles. Consegui colar-me ao grupo e durante os primeiros 3 quilómetros consegui acompanhá-los. Depois aconteceu o esperado e lentamente comecei a ficar para trás, ficando completamente isolado. Este facto iria manter-se durante grande parte da prova.

Lá estou eu sozinho e abandonado...
Dado o fantástico/incrível/suberbo público de Peniche, na verdade, nunca me senti sozinho. Aliás só tinha razões para me sentir motivado, pois cada vez que passava por pessoas as palmas e palavras de força eram só para mim! Isto até me afetou entre o quilómetro 4 e 5 (quando passamos na marina perto da meta) uma zona cheia de público estava a bater palmas e eu ainda comecei a incentivá-los, puxando por eles e pedindo mais barulho. Claro que eles responderam em alto e bom som, o que só me deu energia para as primeiras subidas da prova.

Com as subidas o ritmo também desceu naturalmente mas nunca parei de forçar o andamento. Sabia que não podia desistir mesmo seguindo sozinho. Na zona das fogueiras, o vento não ajudava e o pior ainda estava para vir. De mansinho começou a cair alguma chuva miudinha o que por um lado serviu para arrefecer o corpo (mesmo com temperaturas "baixas" estava a transpirar bastante, coisa que não é normal) mas por outro tornou o chão bastante escorregadio, começando a sentir os pés a não agarrarem totalmente ao asfalto.

Por esta altura começo a ver um atleta no meu campo de visão e percebo que em algumas centenas de metros o poderia alcançar. Dito e feito. Ele não se deixou esmorecer e seguiu comigo. Juntos enfrentámos as piores partes da prova, aquelas últimas boas subidas, com chuva e vento contra a atirar para o forte.

Foi por volta do 11º quilómetro que começou a parte desagradável desta prova e que me conseguiu deixar chateado. Quem me conhece sabe que eu sou uma pessoa calma e até me esforço para não me meter em confusões. Às vezes reclamo das coisas mas tento controlar-me ao máximo e tento "passar ao lado" de certas situações. Se há coisa que eu faço durante a prova, é tentar ser cuidadoso e tentar agir de forma que não prejudique ninguém. Por exemplo, se há coisa que eu não gosto é de nas curvas apertadas fechar o espaço aos atletas que vão atrás de mim para minimizar o risco de quedas.

Ora bem, esta prova não foi diferente. Com o chão bastante escorregadio e seguindo um atleta atrás de mim, estava a ser bastante cuidadoso na minha abordagem às curvas e algumas parte do piso mais acidentado. A certa altura o atleta passa para a minha frente e numa rotunda bastante apertada, ele fecha-me completamente o caminho. Nessa altura fiquei a pensar "pronto ok, está com medo que o ultrapasse por dentro, tranquilo..." mas também fiquei a pensar que foi a primeira vez que tal me sucedeu. Sim, até hoje nunca ninguém me tinha fechado o caminho como ele fez.

Tornei a passar para a frente dele e foi quando a festa começou. Ele ia como se diz na gíria "à mama" aproveitando o facto de eu ir na frente e estar a cortar o vento. Toca-me uma vez no pé. Toca-me uma segunda vez no pé. E torna a repetir a brincadeira mais umas duas/três vezes. Se ele fez de propósito? Acredito que não. Mas na situação dele, para mim bastava acontecer-me uma vez. Passava imediatamente para o lado e deixava de andar "à mama". Um toque destes é o suficiente para causar uma bruta queda, isto tendo em conta a velocidade a que nós seguíamos. Mas a festa não tinha acabado.

A menos de 2 quilómetros do final, ele adicionou a cereja no topo do bolo. Ele seguia ligeiramente atrás de mim, fazemos uma curva apertada à direita e que tinha um bom passeio. Que é que ele faz? Toca de cortar a curva toda seguindo por cima do passeio, acabando a curva ao meu lado. Isso já não tolero. Saiu-me logo "foda-se, que é essa merda pá?!". Decidi nesse momento que me ia esfarrapar todo para que ele não acabasse à minha frente.

Seguimos mais algumas centenas de metros juntos mas à entrada para o último quilómetro e correndo o risco de ser muito cedo pois sabia que ainda faltava a boa subida que nos leva para a meta, comecei a atacar com tudo aquilo que ainda tinha. Ele que viesse comigo se conseguisse. E tentou.



Como podem ver pelo vídeo acima e pela foto em baixo já na meta, a distância que nos separou não foi assim tanta. Naqueles últimos 200/300 metros olhei para mais vezes para trás do que na prova toda. Bem, em boa verdade durante o resto da prova não olhei nem uma única vez para trás. E tenho que ser sincero. Senti-me tão chateado com a situação, que nem fiquei na zona de chegada. Em qualquer outra situação, um despique final assim com um atleta, ganhasse ou perdesse esse despique, tinha cumprimentado o atleta com grande desportivismo. Agora nesta situação, desculpem a minha atitude, mas preferi nem encarar o atleta. Não consigo respeitar as coisas que ele fez. 

Fonte: RUN 4 FFWPU
Acabei a prova em 12º da geral e naquele agridoce 6º lugar do escalão, ficando a um lugar de finalmente ter um troféu desta maravilhosa prova. O meu tempo oficial foram uns agradáveis 51m58s, tempo que sei que é possível melhorar mas que está de acordo com o que foi esta época e também com as condições desta prova.

Fonte: RUN 4 FFWPU
Obrigado pela maravilhosa foto!
Para terminar a noite em beleza, foi tempo da bela da sardinhada com aquelas pessoas que me apoiam incondicionalmente nestas minhas maluqueiras da corrida. E agora? Agora quero é sopas e descanso! Bem, sopas talvez não. Se vou ficar de "baixa" duas semanas é para fazer de tudo menos comer sopinha. Desejem-me umas boas férias da corrida!

Resultados: 39ª Corrida das Fogueiras

11 comentários:

  1. Excelente Vitor. Muitos parabéns. E agora … boas férias, aproveita bem :)
    Grande abraço

    P.S. Ahh … e finalmente posso afirmar que o gajo existe em carne e osso ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi um prazer conhecer-te finalmente! Foi rápido mas intenso eheheh

      Um abraço!

      Eliminar
  2. Grande prova Vítor, mesmo com esses sinais contraditórios que o corpo te deu! Eu penso que a organização mudou a hora da corrida por causa do jogo porque também ia com a ideia das 21:15.

    Sozinho e abandonado é coisa que uma pessoa nunca se sente nas Fogueiras!

    Estranha essa atitude do outro atleta. Felizmente que não houve nenhum azar!
    Grande abraço e bom descanso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde. A partida da Corrida das Fogueiras foi sempre as 21H30, como dita o regulamento.
      Paulo Mamede

      Eliminar
    2. Olá Paulo Mamede,

      E tem razão naquilo que está a dizer. Eu é que me regi pela informação no site da empresa que vos forneceu serviços técnicos (Xistarca) e lá dizia que começava às 21h15... Como pode ver aqui: http://xistarca.pt/eventos/corrida-das-fogueiras

      Um abraço

      Eliminar
  3. Muitos parabéns, pela tua prova! O corpo gosta mesmo de pregar essas partidas mas o que importa, no final, é que fizeste um excelente tempo :)

    Lamento o comportamento do outro atleta... Não há explicação para atitudes dessas e mexem mesmo com uma pessoa... Mas é seguir em frente e continuar a fazer o que a nossa consciência nos diz que é correcto.

    Boas férias!

    ResponderEliminar
  4. Já que falas mal publicamente de um atleta que toda a gente pode identificar, seria correcto partilhares o teu texto com esse atleta e dares-lhe a oportunidade de comentar.
    Ele pode ter agido mal, mas aqui só ouvimos o teu lado da história.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim não me faltava mais nada do que lhe ir pedir justificações. Ele é adulto e sabe o que fez. Sim toda a gente pode saber quem ele é basta ir à classificação e existem vídeos e fotos de ele a vir atrás de mim na parte final da prova.

      A sério não entendo mesmo porque é que eu deveria sequer falar com ele. No máximo o que eu deveria fazer era queixa dele à organização. Mas isso não vale a pena. Ele apenas que meta a mão na consciência e saiba aquilo que fez.

      Obrigado pelo teu comentário anónimo.

      Eliminar
    2. Olha agora.. era pedir autorização para publicar no próprio blog? Juizinho...

      Eliminar
  5. Parabéns pela prova e desejo-te umas ricas e bem merecidas férias!

    Um abraço!

    ResponderEliminar
  6. Bela prova, parabéns! Muito aguentaste tu, com esses toquinhos todos nos pés. Acho que soltava logo uma caralhada. Bom, tem mas é umas boas férias e aproveita para fazeres um treininho acima de 4’30” para veres como vivem as pessoas normais.

    ResponderEliminar