sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

44ª São Silvestre da Amadora

Já o disse no Facebook, já o disse no Instagram, já o disse a dezenas de pessoas pessoalmente: vou fazer a Maratona de Sevilha! Mas porque é que isso está relacionado com a São Silvestre da Amadora? Neste momento, tudo.

Já não estava fácil manter o segredo. Quem vê os meus treinos no Strava (e no Garmin Connect), começou a perceber que a minha carga diária e semanal andava bem acima do que seria expectável. Sobre a metodologia e treino especifico para a maratona, falarei num artigo mais tarde. O que se tem de reter da carga que ando a ter nos treinos para a maratona, é o quanto eu pensei que isto me prejudicaria numa prova de 10km. Isto e a já habitual catrefada de doces da época natalícia.

Como estava de férias, aproveitei para chegar um pouco mais cedo à zona da prova. Fui entregar dorsais a colegas de equipa e aproveitei um pouco do ambiente que se vive nesta São Silvestre. Não há como negar, esta é a prova com melhor ambiente da zona da grande Lisboa e sem dúvida a melhor São Silvestre de Portugal (continental pelo menos). A juntar ao ambiente maravilhoso, tenho de citar o que o grande Paulo Ramos me disse na prova: "os campeões vêm à Amadora". E tenho que concordar com ele pois essa é uma das razões pela qual adoro esta prova: poder correr com os melhores.

Fiz um bom aquecimento e senti algo que já não sentia há muito tempo: estava solto! O facto de ter tido um dia descanso e apenas um treino de 45 minutos no dia anterior ajudaram a recuperar as pernas depois de uma semana com uma carga bastante alta (5x3km, 1h45 de corrida contínua, etc). Isso e claro uma excelente massagem como mandam as regras. Com as sensações do aquecimento comecei a pensar que poderia fazer uma boa prova mas claro sem pensar em tempos e classificação.

Quando segui para o bloco de partida percebi que era demasiado tarde. Este ano reservaram o bloco da frente nem eu sei bem para quem (atletas de elite convidados?) e tive que entrar bem cá atrás. A minha sorte é que encontrei o Paulo Ramos novamente e com a sua experiência fomos furando e pedindo para nos chegarmos o mais à frente possível. Com isso praticamente começámos junto à linha de partida. E a loucura começou!

Fonte: Orlando Duarte
Como manda a tradição, foram logo cerca mais de 2 kms sempre a subir para abrir as hostilidades! O 1º km foi feito com toda a adrenalina no corpo mas o 2º foi feito de uma forma mais controlada. Independentemente disto, consegui ultrapassar logo bastantes atletas nesta parte da prova. Seguiu-se quase 1 km com decline negativo onde fui encontrando vários atletas mas decidi que não era dia de seguir com ninguém. Iria fazer a minha prova até onde o corpo me permitisse.

Mais uma subida, mais uma descida, sempre com muito público na rua a bater palmas e a incentivar! Fantástico! Chegou a louca subida dos Comandos, curta mas cruel. O maior problema é ganhar o folgo quando a inclinação acaba e recuperar as forças para voltar a imprimir um ritmo decente. Mas é nesta altura que se tem de colocar todas as cartas na mesa pois é ai que é separado o trigo do joio.

Por esta altura juntei-me a um atleta chamado Aricson Gomes (bem mais novo) e seguimos juntos a um excelente ritmo e aproveitamos o embalo para ultrapassarmos alguns atletas. Um dos atletas que ultrapassamos foi o Leonardo Aniceto que passado 1 km nos tornou a passar a alta velocidade, sendo o único atleta que eu me lembro de me ter passado durante a prova toda.

Num dos últimos cruzamentos, tive uma visão magnifica ao ver um aglomerado fantástico de pessoas a assistir. Sabem que eu tenho aquela mania de puxar pelo público e quando passo por estas pessoas e só ouvi algumas palmas tímidas, "pedi" mais barulho e acreditem... foi incrível! Parecia que tinha entrado num estádio com toda a gente aos berros!

A juntar ao público houve outra situação que pôs o meu lado competitivo nos píncaros. A pouco mais de 1 km do final alguém amigo (treinador?) do Aricson, que por esta altura seguia ligeiramente atrás de mim, começou a puxar por ele e a dizer que eu e mais outro atleta que seguia uns 20 metros à nossa frente "eram dele". Deve ter corrido algum tempo com ele, pois continuei a ouvir a voz dele durante mais umas centenas de metros. Isso despertou em mim aquele bichinho competitivo e pus em jogo todas as forças que tinha para não deixar isso acontecer.

Fonte: Orlando Duarte
Para terem a noção por esta altura seguia há mais de 1km abaixo dos 3:10/km. O atleta que seguia à nossa frente na penúltima rotunda era o Plácido Jesus e "utilizei-o" para reforçar a minha vontade em dar tudo o que tinha. Percebi que tinha hipótese de o apanhar naqueles últimos 300 metros. Pelo que vejo do Strava, andei a ritmos abaixo dos 2:50/km... e na último rotunda consegui ultrapassá-lo. Em menos de 50 metros consegui ainda ganhar-lhe alguma distância. Acabei o ano com um quilómetro a 3:00/km...

Trinta e três minutos e catorze segundos. Recorde pessoal aos 10 km. Na São Silvestre da Amadora. 21º da geral e 14º do escalão. Que é que eu posso pedir mais? Passei a meta, fiquei à espera do Plácido Jesus, cumprimentei-o e pedi-lhe desculpa porque não gosto de ultrapassar ninguém nos últimos metros. A seguir fui para trás das tendas da organização, sentei-me e fiquei a assimilar o que tinha acabado de fazer. 

2019 promete ser um ano memorável com a minha primeira maratona. Conto com vocês para continuarem desse lado a acompanhar-me. Obrigado!

Resultados: 44ª São Silvestre da Amadora

12 comentários:

  1. Muitos, muitos parabéns por este excelente resultado! Para quem anda a treinar para uma Maratona, bater o recorde dos 10km é mesmo extraordinário! Tens tudo para fazer um excelente 2019 :)

    Fiquei com imensa pena de não ir a essa prova, e este relato só vem aumentar esse sentimento. Para o ano tenho mesmo de lá ir! Se não for tão colada à de Lisboa e à dos Olivais como este ano, estou lá de certeza!

    Um bom ano para ti e continuação de bons treinos para Sevilha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado! Para o ano tens de ir, eu enquanto puder, é uma prova que não quero falhar! O ano passado quase que fiquei deprimido por falha-la eheheh

      Um bom ano e obrigado!

      Eliminar
  2. Excelente prova! Como sempre, estás de parabéns :)
    O público da Amadora foi uma pequena amostra do apoio brutal que vais ter em Sevilha!
    Espero encontrar-te lá. Tipo na feira ou por acaso numa rua, como em Armação de Pêra, dado que em prova irás lá muito à frente e eu nos antípodas :)
    Deixa-me que te diga que dificilmente farias escolha melhor para estreia na mítica distância que Sevilha, mas eu sou suspeito pois tenho uma paixão muito especial por esta prova (vai ser a minha 3a vez na capital andaluza)

    Um abraço e tudo a correr pelo melhor!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado João! Vamos-nos encontrar com certeza, nem que eu te tenha que te telefonar :)

      Um grande abraço

      Eliminar
  3. Parabéns pelo enorme resultado, um recorde aos 10k na Amadora é brutal!
    Sevilha tem um ambiente fantástico, sobretudo na parte final onde realmente começa a maratona. Bons treinos, e estou curioso para perceber a abordagem de treino para esta prova.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado Igor!

      Espero conseguir disfrutar desse ambiente mitíco que me contam de Sevilha :)

      Quanto tiver algum tempo de livre faço um bom artigo sobre a forma como estou a treinar.

      Um abraço

      Eliminar
  4. DAMN!!! Parabéns, pah! Foi do caraças!

    ResponderEliminar
  5. Muitos parabéns,

    Foi realmente impressionante, além de ter gostado de te encontrar pessoalmente. Conforme falamos, vais gostar muito de Sevilha, pois maratonas internacionais, preparas-te para conhecer o que é público a sério :)

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou com grandes expectativas Sérgio :) Foi um gosto tornar a ver-te!

      Abraço!

      Eliminar