Challenge da Caparica - XVIII Grande Prémio do Atlântico

Tantos dias a pensar na loucura que seria fazer o Challenge da Caparica, tanto tempo a pensar nos desafios que este me proporcionaria e sem dar por isso cheguei ao último dia. O último desafio era integrado no GP do Atlântico, prova já com algum histórico mas que eu nunca tinha feito. O meu objetivo inicial era dar o melhor do que ainda restava das minhas energias para ajudar a minha equipa a subir ao lugar mais alto do pódio.

Tal como em todos os relatos sobre provas no domingo passado por essa Internet fora, o tempo assustou e de que maneira. Belo temporal a caminho da Costa da Caparica, e chuva que nunca mais acabava enquanto me ia encontrando com o resto do pessoal do Vale Grande. Fomos equipar com o tempo ainda meio farrusco e sem dar por isso foi-se instalando um sol tímido. Fizemos um bom aquecimento em equipa, com a palhaçada do costume e foi tempo de ir para a partida.

Os atletas presentes nesta prova eram bem mais fortes que nas duas provas anteriores do challenge. Nenhuma surpresa. Sentia-me bem, claro que tinha os músculos um pouco doridos principalmente do piso do corta-mato do dia anterior mas estava confiante que poderia fazer um tempo simpático para conseguir um bom resultado para a equipa. Partida dada.

A prova começou num ritmo mais baixo que o normal, o que me permitiu conseguir acompanhar facilmente os atletas que queriam liderar a prova. Ainda se ouviram algumas piadas de pessoal que seguia atrás de mim "aperta com eles Vitor, faz-os andar mais rápido". Ri-me e respondi que eles é que davam cabo de mim depois. Mas viria-me a arrepender de não o ter feito.

O ritmo aumentou um pouco e formou-se um grupo na frente de quatro atletas. Eu seguia mais atrás com outro atleta, enquanto os outros dois atletas seguiam 2/3 metros mais à frente. Seguíamos num ritmo estável (2º e 3º km a 3:22/km) e estava a ficar surpreendido como o meu corpo estava a reagir tão bem após as provas de sexta e sábado. Entrámos na rua que nos levaria ao paredão e eu aproveitei que era a subir para puxar um pouco e ultrapassei os atletas que seguiam na frente mas ao chegar a uma pequena rotunda que não tinha qualquer controlo, comecei a contorná-la quando oiço um dos atletas a gritar "é por aqui!". Fiquei lixado. Muito mesmo. Naquela estava-me a preparar para ir para a frente da prova e de repente tive que dar meia volta e puxar mais do que era suposto para ir atrás dos outros 3 atletas.

Fonte: Xistarca
Juntado-me outra vez ao grupo, o ritmo tornou a abrandar um pouco, também por culpa do mau piso do paredão. Quando saímos do paredão o ritmo aumentou bastante (para terem noção, de 3:28/km saltou para 3:19/km) e o grupo desmembrou-se. Consegui seguir na frente com um atleta da Marinha pelo sempre desagradável piso de terra batida molhado da chuva que tinha caído durante toda a noite.

Foi por esta altura que comecei a perceber a prova que estava a fazer. Esta prova era praticamente plana, sem nenhuma inclinação relevante e o tempo estava ótimo. Apesar das provas nos dias anteriores, sentia-me muito bem. E foi assim que percebi que se tivesse apostado desde início, tinha saído desta prova com um recorde pessoal. Mas não valia a pena chorar sob leite derramado. Naquele momento estava a disputar a vitória da prova e a vitória do Challenge estava mais que assegurada.

Fonte: Xistarca
Segui durante os últimos quilómetros com o atleta da Marinha (o clube rival do Vale Grande nesta prova) e nos últimos 2 quilómetros o ritmo aumentou (3:17\km). Troquei umas palavras com o outro atleta e disse-lhe que já não tinha uma mudança abaixo para seguir com ele. Ele disse-me o mesmo mas provavelmente ainda o motivei e nos últimos 500 metros ele ganhou-me uns bons segundos e apesar de eu estar a dar tudo o que ainda tinha percebi que não tinha pernas para ele.

Foto: InfoCosta
Cortei a meta em 2º lugar e o atleta que ganhou abraçou-se a mim e agradeceu-me. Eu também lhe agradeci pois é muito bom ter alguém com quem seguir a ritmos mais altos. Acabei com um tempo oficial de 34m17s para cerca de 10.1/10.2km. Não gosto de entrar nestes preciosismos, só o referi porque depois de desligar o relógio, ele armou-se em brincalhão a dizer que eu tinha batido o meu recorde pessoal aos 10km com 33m40s. Tadinho não sabe do que fala :)

Fonte: Xistarca
Para além do pódio do escalão, tive o prazer de subir ao lugar mais alto do pódio para o 1º lugar do Challenge da Caparica! E ainda subimos ao pódio coletivamente com um excelente 2º lugar por equipas! Para o ano lá estaremos outras vez para tentar reconquistar o lugar mais alto do pódio (o GP do Atlântico de 2015 foi a primeira vitória por equipas do Vale Grande).

Fonte: Xistarca

Fonte: Xistarca
Com tantos pódios nem pude dar azo à minha frustração de ter tido a hipótese de bater o meu recorde pessoal aos 10km e tê-lo deixado fugir. Mas é assim que nos motivamos a trabalhar ainda mais a seguir a uma boa prova e o próximo objetivo vem já ai com a Corrida das Lezírias! Até lá!

Resultados: XVIII GP Atlântico / Challenge da Caparica 2017

Associação Vale Grande
fevereiro 15, 2017
6

Comentários

  1. Mais uma vez, muitos parabéns por este desafio conquistado com resultados fantásticos. Estás em grande. Sempre!

    Um abraço e boa continuação de óptima época!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado João! Correu realmente bem!

      Um abraço e força para Sevilha!

      Eliminar
  2. Enorme Vitor. A mudança do treino a dar frutos e de que maneira. E ainda estamos no inicio. Muitos parabéns. Ca ganda máquina ...
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Carlos. Sim é verdade, descansar mais, fazer treinos diferentes e render mais. Tem sido uma ótima experiência!

      Um abraço!

      Eliminar
  3. Parabéns pá!

    É como já foi referido, a mudança de metodologia de treino está a dar frutos, muitos parabéns por isso também.

    É a ver estas fotos que percebo porque o meu RP aos 10km NÃO é na casa dos 30min..

    Continua.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado!

      Por acaso nestas provas houve excelentes reportagens fotográficas!

      Um abraço

      Eliminar

Publicar um comentário

Search

Popular Posts

Adeus Strava?

Existe algo que está a borbulhar na minha cabeça já há algum tempo. Existe um c…

Análise Domyos T900C

Finalmente, o prometido já há algumas semanas! Fiquem com a minha análise à p…

Análise Saucony Kinvara 10

Tenho passado por várias fases no que se relaciona com marcas de ténis. Quando …

Técnica de corrida

Todas as épocas gosto de introduzir componentes novos à minha rotina desportiva…

Olá Garmin Connect!

Num dos meus últimos artigos, referi que estava a ponderar deixar de usar o Str…

Contact Me