segunda-feira, 28 de outubro de 2019

33ª 20 KMs de Almeirim

Nós por vezes pensamos que somos invencíveis. Que a forma cai do céu. Que basta termos indicadores positivos em alguns treinos para pensar que somos capazes de tudo. Mas às vezes estamos tão errados. No domingo foi um daqueles dias que me enganei.

Nas últimas semanas tenho andado bastante positivo em relação à minha forma. Tenho visto os ritmos a aumentar, o esforço para os fazer a diminuir e até a forma física tem vindo a melhorar (mesmo assim teimo em não me pesar...). Para isso tem contribuído algum foco e juízo da minha parte. Mas lá no fundo sabia que tudo isto ainda era muito pouco para enfrentar 20kms a dar no duro. No final deste artigo vão perceber porquê.

Esta foi a primeira prova da época que eu encarei, como o próprio nome indica, como uma prova. Fui muito bem acompanhado para Almeirim (com a minha mulher) e verdade seja dita, tive uma claque de luxo. Foi também a primeira prova desde comecei a correr pelo Vitória, que senti que podia contribuir realmente para a equipa. E tinha que o fazer pois havia um título para defender.

Depois de um bom aquecimento, segui para a falsa partida. Falsa? Sim falsa. Quando estava quase tudo posicionado para arrancar é que informaram que era partir mais atrás. Resultado, fiquei num maranhal de gente. Consequência? Partida atabalhoada em que nem conseguia ultrapassar atletas e honestamente perdi algum tempo que nunca mais consegui recuperar durante a prova.

Mesmo assim dei tudo o que tinha e senti que o meu corpo estava a corresponder. Lembrava-me do ano anterior em que fiz uma prova quase de raiva e senti que o meu andamento em nada estava a dever ao desempenho do ano passado. Durante os primeiros quilómetros segui muito bem acompanhado pelo meu, agora, colega de equipa Luis Baço. O ano passado será sempre memorável pois fizemos uma segunda parte da prova espetacular.

Fonte: Ricardo
Por volta do quilómetro 6, o Baço ficou para trás e juntou-se a mim o Nuno Carpinteiro. Não o conhecia, mas foi muito agradável correr com ele. Na verdade corremos grande parte da prova juntos. Seguimos num excelente ritmo, e passámos aos 10kms abaixo dos 35 minutos. Para perceberem, o ano passado passei aos 10kms com 35 minutos e uns pozinhos...

Depois veio a desgraça. Toda a gente que já veio a esta prova sabe o que é correr até aos 12km. Sempre com subidas pouco pronunciadas até culminar na subida do retorno. Por esta altura já me sentia numa grande quebra mas pensei sempre que tal como o ano passado pudesse recuperar na volta. Como estava enganado. O Nuno por esta altura fugia-me e eu não me sentia minimamente com força para o apanhar. Mas não estava ali para desistir.

Puxei o que conseguia e ainda consegui apanhar o Nuno. Seguimos mais uns quilómetros juntos. Foi ai que se deu a situação mais engraçada da prova. Com tanta a gente que ainda seguia em direção ao retorno e que puxava por mim (obrigado!) o Nuno perguntou "és de onde?", eu disse-lhe que era de Odivelas/Lisboa, ao que ele me diz "pensei que fosses daqui, já que és mais conhecido que o papa". Foi memorável!

Fonte: Paulo Pedro
E agora sim veio a desgraça, parte 2. A certa altura não consegui de todo acompanhar o Nuno (que já tinha feito 15kms antes da prova...) e por volta dos 16kms olhei pela primeira vez para trás. Não me interessava a minha posição individual, só queria saber se conseguia manter para conseguir contribuir ao máximo para a classificação coletiva. Quando começámos a entrar nas ruas de Almeirim é que percebi que já não tinha hipótese, pois já nem via o Nuno no horizonte. a partir daqui foi gerir e acelerar no último quilómetro.

Terminei em 6º da geral e, finalmente, 3º do escalão, o que me permitiu pela primeira vez subir ao pódio em Almeirim. O tempo esse foi de 1h11m32s (mais 1m40s que o ano passado) Quanto à classificação coletiva, foi um brilhante primeiro lugar! E finalmente consegui contribuir para a equipa, sendo o 2º da equipa.

Fonte: Ricardo

Fonte: Ricardo

Mas agora vamos lá falar dos meus erros e falsas assumpções:

  • Eu pensei que estava já em boa forma. Este ano comecei a época no final de Agosto depois de 1 mês parado. O ano passado parei duas semanas em Julho, e comecei a época a 16 de Julho. O ano passado para esta prova já tinha pelo menos mais um mês de séries.
  • Devia ter tido mais cabeça. Mais valia ter-me poupado na primeira parte da prova e esticado na segunda parte.
  • Erro magistral e que me causou algumas dores desnecessárias: levar ténis praticamente novos para uma prova. Faz o que eu te digo, não faças o que faço: não façam isto. Curiosidade: foram uns Saucony Type A8.

Situações para refletir mas para não fazer overthinking. A época longa e com muitos objetivos pela frente. Segue-se um mês de Novembro com uma prova que até hoje só vi pela televisão: Cross da Amora!

Resultados: 33º 20 KMs de Almeirim

6 comentários:

  1. Parabéns pelos pódios! :)

    Gostei de te rever

    Um abraço e bom Cross da Amora!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado João, é sempre um prazer ver-te também!

      Um grande abraço

      Eliminar
  2. Só me ficou esta: Cross? Bem sei que não é trail e até já houve umas brincadeiras do tipo no Troféu de Loures mas gostei de ler!

    Ainda há dias andei a correr pelo que resta da mítica pista de Cross do Jamor.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos ver o que me espera... Sofrimento vai ser com certeza eheh

      Abraço

      Eliminar
  3. Espetaculo! Ainda bem que saiste com boas recordações de Almeirim, apesar de tudo. Olha, eu fui um dos que gritou por ti, ainda na ponte! eheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eheh eu acho que ainda te respondi!

      Saio sempre com boas recordações de Almeirim! Nem que seja pela sopinha :D

      Um abraço

      Eliminar