Análise AfterShokz Air

Este blog além das minhas aventuras no mundo de corrida, já há muito tempo que começou a ser um sítio onde partilho um pouco da minha vida mesmo que por vezes não o faça em muito pormenor. Mas existe algo que já partilhei aqui algumas vezes: tenho uma paixão enorme por tecnologia. Acompanho, leio e por vezes até investigo muitas áreas da área da tecnologia que nos rodeia no dia a dia. E isso faz com que uma das poucas coisas que sou um consumidor a sério, é de tecnologia.

Isto levou há uns quantos meses a adquirir um Garmin Forerunner 945. O meu antigo 630 já me estava a fazer "comichão" embora estivesse em plenas condições (espero que o novo dono esteja bastante contente com ele). Com o 945 ganhei a hipótese de poder ouvir música e podcasts enquanto treino através de Bluetooth e da integração com o Spotify. Dado isto, o meu lado louco por tecnologia começou logo a perceber o que seria a melhor hipótese de uns earphones para treinar.


Existe algo importante a referir: para mim a segurança está em primeiro lugar. Portanto algo que me isolasse do mundo estava à partida logo fora de questão. Cheguei a treinar algumas semanas com um par de earphones meio "rascos" que não me fechavam completamente os ouvidos. Mas estavam sempre a cair, eram desconfortáveis e davam mais trabalho do que algo assim deve dar durante um treino.


Foi assim que cheguei à AfterShokz e em concreto ao modelo Air. Esta marca tem como especialidade fabricar earphones direcionados para desporto. Mas com uma característica muito especial: funciona por condução óssea. Sem entrar em muitos pormenores técnicos, basicamente o som é passado através de mini vibrações através dos ossos. Isto faz com que enquanto estou a treinar esteja sempre completamente consciente de tudo aquilo que nos rodeia (principalmente os nossos amigos automobilistas). Podem ver como funciona aqui.


Para algum audiófilo que esteja a ler este artigo posso já avançar: sim o som não é soberbo. Isso era expectável. Mas a qualidade de som é bastante aceitável mesmo. Superior a muita coisa que se vende por preços superiores. Tipicamente durante os treinos eu nem oiço música (prefiro podcasts), mas por vezes oiço e fico sempre bastante agradado com o nível de experiência sonora que tenho. Isto sempre tendo em consideração que continuamos a ouvir tudo o que nos rodeia.

A nível de conforto não tenho razão nenhuma de queixa. Apesar ter um tamanho único, adapta-se completamente à nossa cabeça, tendo como suporte as orelhas. Já corri por diversas vezes com gorro e até com óculos, e não em incomoda nada. Como vocês sabem eu não corro propriamente devagar e nunca tive que os ajeitar, ou sequer me fizeram confusão. A nível estética, eu pessoalmente gosto e não ficam a dever nada a quaisquer earphones desportivos que estão no mercado.


Como podem ver nas fotos em cima em baixo, possuí controlos de volume (que também serve para emparelhar como relógio, telemóvel, ou o que quiserem que tenha conectividade Bluetooth). Possui também um botão grande e com mais acessibilidade para poder parar, passar à próxima música (ou anterior), atender chamadas se tiver conectado com um telemóvel, etc. A nível de bateria podem esperar 6 horas de uso contínuo, o que é um valor bastante aceitável. Pena é terem carregamento por uma tecnologia ultrapassada como micro-USB ao invés de USB Tipo C.


O preço pode ser um pouco puxado para aquilo que algumas pessoas estão habituadas a dar por um par de earphones. Custaram cerca de 60 euros na Black Friday, o que ajudou à decisão de os comprar face ao preço original. Se preferirem algo mais barato têm o modelo Titanium, ou se preferirem algo com outro nível de som têm um modelo superior (e à prova de água), os Xtrainerz.

Os relógios com Bluetooth e que têm funcionalidades para ouvir música (sem ter que trazer o telemóvel atrás), estão a tornar-se cada vez mais banais, o que faz com que tenham de comprar algo que vos dê segurança nos ouvidos. E estes Aftershokz são os companheiros perfeitos para quem quer companhia para treinar. Valem cada euro gasto se forem usados para aquilo que foram desenhados.

Aspetos positivos
+ Conforto
+ Inovação
+ Bateria
+ Aspeto

Aspetos "assim-assim"
+- Qualidade de som (são bastante bons, mas claro quem quer qualidade sonora, esta não é a solução)
+- Apenas à prova de suor (IP55)
+- Preço (quando adquiridos pelo valor normal)

Aspetos negativos
- Carregamento por micro-USB

Além de uma capa protetora, trazem ainda uns tampões caso queiram mais isolamento!

AfterShokz
fevereiro 9, 2020
4

Comentários

  1. Boa dica! Vou tomar nota, para oferecer lá em casa, a quem ainda este fim-de-semana me roubou os meus phones para ir correr... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que fazes bem, são mesmo excelentes para o que nós fazemos :)

      Eliminar
  2. Obrigada pela partilha... eu ainda corro com modelo pre histórico que envolve fios... mas como nao passo sem a minha musica para treinar é uma opção a ter em conta...vai para lista aniversário! Obrigada pela partilha

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Search

Popular Posts

Análise Domyos T900C

Finalmente, o prometido já há algumas semanas! Fiquem com a minha análise à p…

Zurich Maratón de Sevilla 2019

Há momentos na vida em que temos de decidir aquilo que nos define. Eu felizment…

Corrida da Árvore 2015

Sabem uma coisa? Já andava ressacado com falta de provas. Apesar de ter ido aos…

2020.

Acho que estas últimas semanas conseguem refletir bem o que 2020 está a ser. Es…

MultiSport Weekend Coimbra 2021

Não sei começar este artigo. A última vez que escrevi sobre uma prova foi em 16…

Contact Me