Como é que a corrida me ajuda no meu trabalho - Parte 1

Este é um artigo que eu já queria escrever há uns anos. Na verdade é baseado numa apresentação que fiz e achei muito interessante todo o universo de estudos científicos que existem acerca do desporto e da corrida em particular. Nesta série de artigos vou-me focar em como a corrida me ajuda a ser melhor no meu trabalho e qual a explicação científica para isso. Mas claro, tenho que fazer o famoso disclaimer: eu sou um simples Engenheiro Informático que corre, não sou dono e senhor de nada que aqui vou dizer. Apenas vou transmitir aquilo que aprendi através de diversas pesquisas. Se tiverem opiniões contrárias e/ou mais aprofundadas sobre estes temas, por favor deixem os vossos comentários para que todos possamos aprender!

Todos sabemos que o desporto (e principalmente a corrida), nos ajuda em diversos factores do nosso dia a dia:
  • Ajuda-nos a relaxar após um longo dia de trabalho
  • Quem pratica desporto com grande regularidade, acaba por ter sempre mais resiliência que outras pessoas
  • Os atletas normalmente têm uma grande autodisciplina
  • Os cérebros de quem pratica desporto têm tendência a crescer (mais à frente irá ser explicado!)
Então mas como é que a corrida me ajuda no meu trabalho particularmente? Vamos então para a primeira secção deste artigo:

Nós programadores passamos muito tempo sozinhos... na nossa cabeça!


Quem conhece esta profissão, sabe que programar exige concentração e até algum individualismo (mesmo trabalhando em equipa) para realizar as tarefas características a este trabalho. Existem diversas substâncias que o nosso corpo produz durante a corrida que nos ajudam no dia-a-dia. Mas quais são elas? Vamos lá então a isto:

Dopamina


Chamada de molécula da motivação, a dopamina é um dos mais de 100 neurotransmissores do cérebro humano. Ajuda-nos a manter a concentração e a ter motivação para ser produtivos no dia-a-dia. Ao elevar os níveis de dopamina, a nossa capacidade de atenção e motivação vão melhorar, tal como a capacidade de acompanhar raciocínios complexos, e algo bastante interessante como melhorar a capacidade de experienciar o prazer das mais diversas coisas do nosso dia a dia (sim aquele sentimento de euforia de quando conseguimos resolver um problema fod*** no nosso trabalho).

Serotonina


Outro neurotransmissor! É muitas vezes chamada a medicina da felicidade, pois ajuda a contribuir para o bem-estar, felicidade no geral, e aumenta a nossa capacidade de nos tornarmos pessoas com mais amabilidade (algumas pessoas do mundo da informática beneficiariam tanto com isso...). Mais concretamente, diminui sentimentos de hostilidade e sintomas de depressão.

Norepinefrina


Estamos a entrar no campo das palavras difíceis de dizer. A norepinefrina actua como um neurotransmissor. Basicamente, ajuda-nos a reduzir o stress e a ansiedade. E que importante que isso é nesta área!

Em jeito de conclusão deste primeiro artigo, estas três substâncias que o desporto nos ajuda a elevar, acabam por ser muito importantes na minha vida e na vida de qualquer pessoa de informática que pratique desporto. E embora eu tenha dito muito sobre as mesmas, existe algo que é uma "pequena" assombração do mundo da informática e que elevando estes níveis acaba por ajudar a combater e a evitar: o burnout e a depressão. Penso que não vale a pena dizer muito mais não é? O burnout e a depressão (que muitas vezes andam de mão dada) é algo que nos vamos acostumando a ver nossa sociedade moderna, mas é algo que o desporto e a corrida podem a ajudar a combater.

Espero que tenham gostado desta primeira parte! Se estão interessados que eu continue, deixem algum tipo de feedback. Eu sei que fotos de pessoas a correr e de falarmos de provas e grandes tempos, é super interessante. Mas no fundo, eu não corro por causa disso e sei que muitos de vocês também não. Corremos para nos sentirmos bem e para estarmos melhor como nós próprios. E portanto, é sempre interessante ver o lado científico disto não é? Até ao próximo artigo!

divagações
abril 6, 2022
2

Comentários

  1. Olá Vitor! Obrigado pelo artigo. O que nos move é a superação e liberdade. Ver progresso, sofrer, aprender, aparecer mais forte. Até após lesões ou fracassos aprendemos e ao aparecer de novo faz de nós mais sábios, mais maduros, etc. Corrida é vida - já diz o Kipchogue. Olha este! https://www.psypost.org/2022/04/meta-analysis-finds-that-perseverance-of-effort-or-grit-is-strongly-tied-to-better-subjective-well-being-62840.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Search

Popular Posts

Análise Joma R.3000

Não há dúvida que a palavra carbono veio revolucionar o mercado dos ténis . Des…

A minha experiência com as famosas placas de carbono - Parte 2

A vida é feita de experiências. Estas experiências são o que nos moldam a perso…

Parei um treino a meio e estou bem com isso

Nós atletas somos obcecados. Ora seja com tempos, com horários de treino, com a…

Comprei um telemóvel para levar nos treinos

Sim eu sei isto é um artigo com um título no mínimo estranho. Mas acredito que…

Análise Kiprun Ultralight

O meu início no mundo da corrida a nível de calçado começou como tantas outras …

Contact Me