Corrida Dom Dinis 2022

Bem, acho que vos vou poupar à conversa de sempre. Odivelas é a minha cidade como já sabem. É uma cidade que me tem desiludido muito, mas estando a viver novamente nesta cidade que me viu nascer, não podia deixar de participar numa prova que praticamente tinha a partida ao lado da minha atual casa. Mesmo que isso signifique fazer três provas em três fins-de-semana seguidos. Haja paciência do treinador.

Aproveitando o facto da proximidade com o local de partida, dei-me ao luxo de ir buscar o dorsal e ainda voltar para casa para me equipar. Felizmente estava bom tempo, e pude equipar-me já para a prova e assim aproveitar para fazer um aquecimento descansado e seguir diretamente para a partida. Mas claro, tinha que inventar. Consegui a proeza de a cinco minutos do tiro de partida, ainda estar longe da mesma. Cheguei à linha de partida com 2 minutos para a prova começar. Mas claro, o karma tinha que me atingir, e a prova estava atrasada. Andei a sprintar para nada.

Vou-vos ser honesto, não estava minimamente com a cabeça na prova. Tinha estado mentalmente focado noutros assuntos antes da prova, e mais do que o facto de não ter tirado carga durante a semana, isso afetou a minha disponibilidade física para encarar a prova como eu queria. No entanto estava ali para correr, e não para lamúrias e arranjar desculpas. Ia correr para o que desse, e se visse que me estava a desgastar demasiado para obter uma boa posição, iria resguardar-me para me poupar para o próximo domingo (Campeonato Nacional de Corta-Mato Longo).



O início foi muito rápido. Atletas de todos os níveis embalados pela descida inicial, puseram um ritmo que não estava à espera para aquele dia. Demorei uns minutos a entrar na prova, mas felizmente tinha a companhia do meu amigo Rui Martins para relaxar mentalmente. Tínhamos também na nossa companhia o Luis Baptista do Grupo Desportivo de Chelas, que estava a impor um ritmo altíssimo e não nos estava a deixar abrandar.

Os primeiros 2 quilómetros foram feitos a um ritmo bastante alto, e a certa altura percebi que o Rui já não seguia comigo e com o Luis. Mesmo mantendo o ritmo alto (seguíamos sempre abaixo dos 3:20/km), decidi que iria manter aquele ritmo e não exagerar. Não conhecia o Luis, mas preferia perceber se ele iria continuar naquele ritmo durante muito mais tempo. E a aposta viria a revelar-se correta, pois em menos de um quilómetro, estava a correr sozinho pelas ruas de Odivelas.

Mesmo assim decidi manter o ritmo até meio da prova para tentar eventualmente ganhar uma margem de segurança. Não quis estar a pôr-me pressão a mim mesmo, e decidi que só na viragem dos 7km iria avaliar a distância que tinha para os atletas que seguiam atrás de mim. No entanto isso não me restringiu de baixar o ritmo. Para terem noção fui de 3:16/km no 5ºkm para 3:24/km no 6º e 3:34/km no 7º.

Após a viragem percebi que tinha uma distância confortável para o Luís e para o Rui e mantive o andamento mais baixo. Aproveitei para desfrutar da prova e responder a todos os atletas que me incentivavam e que ainda seguiam em direção ao retorno dos 7km. Foram tantos mas tantos atletas a mostrar o seu apoio, que durante quase dois quilómetros não consegui manter-me calado durante mais de 10 segundos. Não tenho palavras. Obrigado!

Não vamos falar sobre os meus olhos fechados nesta foto por favor.


No último quilómetro ainda acelerei um pouco mas acabei por me deixar de merdas rapidamente. Não tinha necessidade nenhuma de adicionar mais desgaste às pernas e assim acabei por passar a meta em 1º lugar da geral com o tempo oficial de 33m35s. Fiquei satisfeito com o resultado e até ligeiramente surpreendido com o tempo final, pois pensei que tivesse sido mais lento.

Foi bom ver o atletismo de competição voltar a Odivelas e ver tanta gente animada a subir ao pódio. Só faltou mesmo a classificação por equipas. Mas não queria deixar de referir que não entendo mesmo o facto de termos estado mais de uma hora à espera da entrega dos troféus. Estragou completamente o ambiente que poderia ter estado, com a maior parte do público a desaparecer e alguns atletas a faltar ao pódio. Eu saber a razão até sei (foi-me comunicada pela organização), mas honestamente faz-me demasiada confusão para estar a falar aqui.



Esta semana está a ser completamente focada em tapering para estar fresco e fofo para o Nacional de Corta-Mato. Já sei de antemão que não vou estar no meu melhor (tenho um baptizado no dia anterior e a vida é para ser vivida), mas lá estarei para deixar tudo na Amora!

Gostaram do artigo? Apoiem o blog comprando aqui o vosso material desportivo.

Resultados: Corrida Dom Dinis 2022





Corrida Dom Dinis
novembro 24, 2022
2

Comentários

Enviar um comentário

Search

Popular Posts

Análise Joma R.3000

Não há dúvida que a palavra carbono veio revolucionar o mercado dos ténis . Des…

A minha experiência com as famosas placas de carbono - Parte 2

A vida é feita de experiências. Estas experiências são o que nos moldam a perso…

Parei um treino a meio e estou bem com isso

Nós atletas somos obcecados. Ora seja com tempos, com horários de treino, com a…

Comprei um telemóvel para levar nos treinos

Sim eu sei isto é um artigo com um título no mínimo estranho. Mas acredito que…

Análise Kiprun Ultralight

O meu início no mundo da corrida a nível de calçado começou como tantas outras …

Contact Me