Meia Maratona de Cascais 2023




Tipicamente só costumo escrever sobre provas. A minha intenção ao ir à Meia Maratona de Cascais, era tudo menos fazer uma. E não foi uma prova que lá fui fazer. Mas acabou por ser uma experiência tão mirabolante, que pensei em escrever um pouco sobre o assunto.

O objetivo de ir a Cascais era fazer um treino longo. Conhecia muita gente que ia à prova, mas em particular o Paulo Garcia tinha-me desafiado para o ajudar e sabia que o Luis Machado também ia. O Paulo tinha-me dito que ia para 3:45/km e o Luis para 4:00/km. Portanto, dependendo como me sentia, no dia iria decidir com quem ia. Era para ir sem dorsal, mas no sábado a minha equipa acabou por me arranjar dorsal e assim pude ir representar os Belenenses pelas belas paisagens do Guincho.

Não estando minimamente focado na competição, é óbvio que me atrasei. E muito. Arranjei lugar por sorte, e faltavam menos de 20 minutos para a prova arrancar quando me vi com o dorsal na mão (obrigado Gonçalo!). Com poucas horas de sono e sem grandes certezas da minha condição física, lá entrei no bloco de partida da Elite a dois minutos da partida.

Dado o tiro de partida, começa a festa. Tinham-me dito que o Paulo Garcia tinha o dorsal do bloco de 1h25 e na minha cabeça significava que ele tinha partido atrás de mim. É sempre engraçado ver agora as fotos e vê-lo na linha de partida. Resultado? Primeiros momentos da prova a 4:00/km e pouco, num constante olha para a frente, olha para trás e a perguntar à malta onde raio estava o Paulo. Até que me disseram que ele estava lá para a frente. Por esta altura, já deveria ter perdido uns 2 minutos para ele.

Mudei então o chip e comecei a aumentar o ritmo. O Paulo tinha-me dito que ia para 3:45/km, portanto bastaria ir alguns quilómetros abaixo disso para o apanhar. Estava tão enganadinho. Basicamente fui até aos 10º quilómetro sempre numa média de 3:30 e tal e alguns quilómetros a 3:20 e tal, e nada do Paulo. Estava quase a desistir quando perto da viragem finalmente vejo o Paulo. Grito-lhe "isso é que era 3:45!". Ele ia tão focado, que com certeza não me ouviu. 

Por esta altura pensei em abrandar o ritmo. Estava a sentir dores nos glúteos da perna esquerda e sabia que estava a asneirar. No entanto, quando dei por mim estava a liderar um grupo juntamente com o Cardoso e o Samuel Freire que iam também a treinar. Então decidi continuar naquele ritmo louco. Não cumprindo o objetivo de estar ali em Cascais, ao menos que fizesse um excelente treino.

Mesmo a subir vindos do Guincho, os quilómetros entre os 3:30-3:40/km iam-se multiplicando, e foi natural que lentamente fosse vendo o meu amigo Paulo a aproximar-se. Aos 17km decidi que o ia apanhar, e arranquei do grupo. Queria fazer nem que fosse o último quilómetro com ele. Aos 19km já me encontrava ao lado dele. Pus as orelhas dele a arder e fiz com que ele não abrandasse até à linha de chegada. Fiquei super contente quando ao final da tarde percebi que o esforço tinha valido a pena, pois graças ao sprint final, o Paulo acabou por ficar em 1º no escalão M50.

Já eu acabei o meu treino com média de 3:37/km. Sim e o Paulo também fez a prova para este ritmo. 3:45/km o cara***! Enfim. Ainda deu para 01h16m49s, com passagem aos 10km com 36m44s. A posição, pouco interessa, mas 18º lugar acaba por ser sempre agradável, mesmo em treino. De notar que foi a primeira vez que participei nesta prova. Saudades dos 20km de Cascais.

A organização pareceu-me irrepreensível, mas fica apenas uma nota para os atletas: foram inúmeros os atletas que eu vi a consumir géis e simplesmente a atirar as embalagens para o chão. Malta, qual é o vosso problema? Não podem simplesmente guardar as embalagens consumidas no sitio onde as traziam durante a prova? Vá lá... tenham um bocado mais de consciência. Depois não venham falar da malta do trail.

Quanto a mim, por agora é continuar a treinar e regressar às boas sensações. O mais desafiante tem sido o voltar a regrar a nutrição e é nisso que me quero focar nas próximas semanas. Quanto a provas, logo se vê. 

Gostaram do artigo? Apoiem o blog comprando aqui o vosso material desportivo.

Meia Maratona de Cascais
fevereiro 7, 2023
2

Comentários

  1. Excelente texto. Um abraço desportivo e boas provas. Ass: Ricardo Conceição

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Search

Popular Posts

Análise Nike Pegasus 39

Eu tenho uma opinião muito própria sobre o calçado da Nike. Essa opinião foi fo…

Análise Kiprun KS900

Esta época faz 10 anos que comecei a levar esta coisa da corrida um pouco mais …

Análise Joma R.3000

Não há dúvida que a palavra carbono veio revolucionar o mercado dos ténis . Des…

Análise Kiprun KS900 Light

Existem modelos que nos caem no goto. Durante anos a fio, para treinar fui um a…

Análise Kiprun KD900X

Acredito que este seja um dos artigos mais esperados desde que tenho este blog,…

Contact Me