domingo, 26 de junho de 2016

37ª Corrida das Fogueiras

Dois anos depois da minha primeira experiência nas Fogueiras, ontem voltei a experienciar esta corrida mistíca. Embora tenha sido espetacular à mesma, Peniche ontem não estava na máxima força devido ao jogo da seleção nacional, afastando muita gente da rua. Mas não é por isso que fiquei com menor impressão desta prova, para o ano lá estarei de as minhas pernas deixarem. Mas vamos à prova deste ano.

Ontem estava com uma sensação de como se a prova fosse a primeira da época. Estava com pouca confiança e umas horas antes, até estava sem vontade tal era o tempo passado desde a última prova. Curiosamente passaram-se dois meses certinhos desde a minha famosa primeira prova de Trail que me atirou para as boxes. Mas chegado a Peniche com a minha mais que tudo e a mãe dela, começo logo a encontrar o meu pessoal do Vale Grande e a cabeça começou lentamente a fazer o shift (perdoem-me o estrangeirismo) para o modo prova. De salientar que ontem representamos o clube de Peniche, SFU Atouguia da Baleia.

Um excelente aquecimento de mais de 30 minutos (para compensar aqueles que só duram 5 minutos), lá segui para o bloco da frente da prova. Rodeado de excelentes atletas, eu só pensava se iria conseguir aguentar um ritmo alto depois de um mês de Maio quase parado. Partida dada e lá fui naquele ritmo alto e louco típico que nunca dura muita mais do que 1 km. Ao final do 2º km, percebi que já não era capaz de andar abaixo dos 3:30\km. O meu corpo dizia-me que estava num bom ritmo mas olhando para o relógio via que a velocidade não era a mesma de à poucos meses atrás.

Fonte: FAZtletismo

Mas não me deixei abater. Durante uns bons quilómetros partilhei a frente de um grupo com mais outro atleta. Sempre num ritmo mais ou menos certinho, aguentei com o vento de frente que se sentia na zona das fogueiras e sempre que parecia que estava a enfraquecer, concentrava-me no barulho das passadas dos atletas que seguiam atrás de mim (cerca de 5/6 atletas). Até ao 10º km a coisa correu bem. Mas a partir dai alguns atletas do grupo começaram a puxar mais e eu não os consegui acompanhar. Não foi fácil mentalmente, mas continuei. Até ao 13º km.

Faltavam 2 quilómetros para o final quando dei o estoiro completo. O único atleta que sobrava do tal grupo ultrapassou-me e e na minha cabeça eu só queria parar. A falta de quilómetros, a falta de séries até algum peso a mais, ditaram quase a minha primeira desistência. Pela minha cabeça até passou o facto de pensar que a partir dali ia começar a ver uma multidão a gritar por nós, mas nem isso aconteceu pois estava tudo a ver o raio do jogo.

Fonte: FAZtletismo
Mas no último quilómetro consegui reunir aquelas últimas forças, ultrapassei o atleta que seguia à minha frente (Carlos, o 1º atleta classificado de Peniche) e consegui cruzar a meta. Antes de ver o contador não sabia quanto tempo tinha feito, mas foi uma chapada ver aqueles 53m43s. Muito longe dos 52'10'' de Benavente e muito longe do tempo que eu perspetivava fazer nesta prova à poucos meses atrás. Acabei por ficar em 25º da geral e 10º do escalão. O ano passado ainda levava um caneco para casa, mas este ano cortaram nos troféus. Penso que nos classificámos em primeiro lugar por equipas de Peniche que era o grande objetivo!

Não houve troféu, mas houve umas belas sardinhas no final e mais uma excelente festa, ainda apimentada com a vitória de Portugal. Para o ano lá estaremos outra vez em Peniche para mais uma grande festa do atletismo!

Resultados: 37ª Corrida das Fogueiras

4 comentários:

  1. "The road to success is always under construction" by Lily Tomlin

    ResponderEliminar
  2. Nas condições em que estavas fizeste uma grande prova. Muitos parabéns. Grande Abraço

    P.S. Foi a minha estreia nas Fogueiras e foi espectacular ... só se não puder por algum motivo de força maior é que não volto.

    ResponderEliminar