segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Análise Hoka One One Clifton 4

Começo por explicar como ia começar a escrever esta análise: ia congratular-me por estar finalmente a escrever sobre um modelo que ainda não tem sucessor e que portanto seria uma análise atual. Ora pois, claro. Uma pequena pesquisa e vejo que os Hoka One One Clifton 5 já foram anunciados (mas ainda não estão à venda!). Mas agora já tenho a coisa pensada, por isso vamos lá a mais uma análise.

A Hoka One One é uma marca relativamente recente (fundada em 2009) e que pouca expressão tem no mercado português. Baseando-me nas reações que tive das pessoas que já viram os meus ténis, as poucas que conhecem esta marca pensavam que só tinha modelos para trails. Há poucos meses atrás andava à procura de ténis para comprar e por coincidência desafiaram-me a encomendar uns Hoka. Sabendo da reputação da marca e como tinha vontade de experimentar algo novo, aceitei e lá abri os cordões à bolsa.


O que salta logo à vista nos modelos da Hoka são as enormes solas. Enormes. Quando tirei os Clifton da caixa e os vi pela primeira vez, pensei que ia começar a correr de saltos altos. Mas também foi paixão à primeira vista. Como muitos atletas, gosto de usar cores que se destaquem e o laranja deste modelo está no ponto. Na minha opinião, o design do modelo está muito bem conseguido.

Para qualquer parte que se olhe, estes Clifton transparecem qualidade na construção. Até os atacadores parece que são feitos num material diferente do normal pois apertam-se e desapertam-se com bastante facilidade e sem mostrar desgaste. Estes ténis já vão com cerca de 500km e embora estejam completamente sujos, aparentam ainda fazer facilmente o dobro ou triplo dos quilómetros. E assim o espero.



Mas vamos à prática. Primeira sensação quando os calcei? Não, não foi um sentimento de felicidade por finalmente ter algo nos pés que me fazem ser mais alto que a minha namorada quando ela põe saltos altos. A primeira sensação foi desconforto. Eu apostei neste modelo na assunção de que estava a comprar uns ténis neutros. E até a palmilha nos diz isso como podem ver na foto em baixo. Mas a verdade é que existe um arco na zona do arco do pé tal como estou habituado nos ténis de pronação. Dado que já há uns bons meses que não uso nada com pronação, foi realmente desconfortável a sensação. E claro depois veio a sensação que realmente estava mais alto que o normal.

Não quis deitar a toalha ao chão, por isso logo no dia a seguir fui treinar com eles. Sinceramente, na altura o alto não me fez confusão. Uma coisa positiva e até bastante apelativa deste modelo é o drop. Apenas 5mm com uma sola deste tamanho é bastante bom. Nos últimos meses, tenho feito treinos mais rápidos, curtos, longos e tenho gostado das sensações que me transmitem. O amortecimento é fantástico e nada exagerado, ou seja, no ponto. Apenas não arrisquei treinos intervalados pois é completamente incoerente tendo em conta o objetivo do modelo.




Ao treinar com eles, outra sensação que vem logo ao de cima é o pouco peso que têm. Claro que não são umas penas mas para o tamanho que têm, a sensação que fica é bastante boa. A altura do ano em que estamos, também foi boa para testar a aderência dos mesmos em condições mais adversas. As sensações são mistas. Fiz treinos a chover em que a sola agarrou bastante bem e tive outros em que senti que não agarravam tão bem. Portanto, não são os melhores ténis para correr à chuva mas também não são os piores que já usei. Nota: já os utilizei bastante em estradões e as sensações que ficam também são boas!

Visto que este artigo já vai longo, está na hora de realçar o verdadeiro ponto negativo. Lembram-se do alto na zona do arco do pé? É um verdadeiro causador de bolhas. Pela altura do Natal, publiquei um artigo que falava sobre o meu inimigo nesses dias. Muitas pessoas me deram causa e soluções. Renovei o meu stock de meias e mesmo assim as bolhas tornaram a aparecer-me (desta vez de forma não tão grave...). Eu nunca tive bolhas, sempre utilizei ténis de pronação e pela primeira vez tenho uns ténis que me causam bolhas em ambos os pés! Não consigo entender como é que uns ténis que estão classificados como neutros podem ter um alto tão grande na zona de correção da pronação.



Para concluir, a pergunta a responder é: aconselho estes ténis? Sim. Se os conseguirem encontrar à venda e não tiverem um preço absurdo, arrisquem que não se vão arrepender! Porém, se forem propensos a ter bolhas, simplesmente esqueçam este modelo.

A Hoka deixou-me com uma excelente impressão e com certeza vou crer experimentar um novo modelo no futuro. Mas venham para Portugal de forma mais massiva ok?

Pontos Positivos
+ Amortecimento
+ Peso
+ Conforto (ver pontos negativos mesmo assim...)
+ Respirabilidade
+ Aspeto
+ Drop
+ Durabilidade

Pontos "assim-assim"
+- Curva de habituação devido ao tamanho da sola
+- Aderência

Pontos Negativos
- Preço e disponibilidade no mercado nacional
-- Arco na planta do pé demasiado elevado (causador de bolhas e incoerente pois o modelo é neutro)

4 comentários:

  1. Antes de mais obrigado pela análise.

    Estes eram uns que andava a ver mas quando comentaste a questão das bolhas fiquei de pé atrás.

    Já experimentaste trocar a palmilha, não melhorará?

    Por acaso só há pouco tempo descobri que faziam para trail :)

    Há alguns anos que sigo a marca mas nunca comprei nada, provavelmente por nunca cá os ter visto e mesmo que mande vir online gosto de experimentar primeiro, os meus pés são sensíveis, mesmo muito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda não me tinha lembrado dessa hipótese da palmilha! Tenho de pensar nisso...

      Eu pensava que os meus pés não eram sensíveis mas com os Hoka enfim ...

      Eliminar
    2. Há uns anos tive a brilhante ideia de comprar uns reebook qualquer coisa, nunca tinha feito tanta bolha.

      Primeiro corria sempre de penso e depois troquei a palmilha. Melhorou.

      Eliminar
  2. Bom dia.

    Já há algum tempo que vou acompanhando o teu blogue, e finalmente hoje ao ler a tua análise resolvi comentar.

    Em Maio de 2017, comprei os Hoka modelo Clayton 2. De início até estava bastante satisfeita, porque usava palmilhas ortopédicas e como a frente deste modelo é bastante larga, a palmilha encaixava super bem. Até ao dia que por indicação da fisioterapeuta deixei de usar as tais palmilhas. Na segunda vez que calcei os ténis apareceram-me bolhas precisamente no arco do pé, "coisa" que nunca me tinha acontecido com qualquer outra marca. Mais tarde voltei a calça-los e aconteceu o mesmo. Acabei por os deixar de lado, e ainda hoje choro o dinheiro que gastei com eles.

    O que dizes a cerca do arco muito elevado que existe no modelo Clifton4, no Clayton2 que também é um modelo neutro, senti o mesmo e julgo que o problema das bolhas é precisamente esse.

    Continuação de boas provas.

    Beijo

    Lígia

    ResponderEliminar