segunda-feira, 26 de março de 2018

36ª Corrida dos Sinos

Mais um ano, mais uma Corrida dos Sinos! Esta é uma prova que sem dúvida nenhuma me dá muito gozo participar. Não é uma prova curta, tem uma organização praticamente local, é afastada de Lisboa, tem um bom público, tem muitos atletas na rua e, claro, tem muitos atletas de bom nível a participar!

O dia de ontem avizinhava-se péssimo para correr. Estava semi-péssimo. Não chovia (e não choveu!), a temperatura não estava péssima, mas estava uma ventania terrível que causava um frio no mínimo esquisito. Cheguei com algum antecedência a Mafra, trazendo quase a família toda a atrás para fazerem a Corrida dos Sininhos. Tarefas de "chefe" de equipa à parte, com muita correria e chamadas pelo meio, quando dei por mim tinha pouco mais de 10 minutos para aquecer.

A partida é a única coisa estranha que consigo apontar à organização. Não entendi como é que de repente se formaram dois blocos (numa prova que penso que não estava escrito em lado nenhum que havia blocos) e vejo-me no bloco da frente e vejo colegas meus de equipa separados do meu bloco por uma fita até a organização juntar os dois blocos. Apontamentos à parte, partida dada!

Foi um início rápido mas controlado, não fosse o declive do primeiro quilómetro bastante inclinado. Depressa fugiu um grupo de cerca de 15 atletas para a frente da prova e eu fiquei no meu andamento controlado junto de um grupo que seguia num excelente ritmo e que não dava sinais de querer abrandar.

Seguíamos quilómetro a quilómetro no sentido Mafra-Ericeira, sempre com o vento contra mas com a ajuda de irmos apanhando algum declive negativo. O grupo não se ia alterando muito, dois atletas foram lentamente descolando mesmo com o grupo a andar por vezes abaixo dos 3:20/km. Foi muito importante para a minha prova ter seguido neste grupo pois consegui manter um ritmo alto mas sem nunca me sentir demasiado cansado ou no limite (o que também não é bom...). Por vezes ia para a frente do grupo mas quase sempre alguém ia para o meu lado, mantendo sempre algum companheirismo e espirito de sacrificio. Sim porque na estrada e na frente também existe um bom espírito para quem duvida disso!

No retorno a prova mudou para mim. O grupo partiu ligeiramente, o meu ritmo aumentou e comecei progressivamente a sentir-me bem na corrida. E não, não foi o vento a favor. Porque esse desgraçado continuava contra como se nada se passa-se. 

Fonte: Luis Duarte Clara
Continuei a puxar e embora alguns atletas do grupo tentassem ir para o meu lado, só o atleta Francisco Pedro da Odimarq veio embora comigo. A partir daqui foi sempre a puxar e mesmo quando o declive apertava (e penso que só por um quilómetro o vento esteve a favor), as minhas pernas respondiam. Estava completamente surpreso!

Fonte: Pedro Baleia
Aproximava-se rapidamente os últimos quilómetros e seguia lado a lado com o Francisco quando entrámos nos últimos dois quilómetros. Íamos passando pelas pessoas da caminhada e alguém da organização gritou que seguíamos em 9º e 10º da geral e que faltavam 1500m para o final. Foi nesse momento que o meu chip mudou.

Não me interessava se era demasiado cedo para arriscar mas senti que tinha que aplicar todas as forças que me restavam e as minhas pernas responderam! Os metros iam passando e comecei a distanciar-me cada vez mais do Francisco. Tal como no ano anterior, tinha as mulheres da minha vida (a minha namorada, a minha mãe e a minha sogra) a gritar que nem umas doidas por mim quase à entrada do parque e isso ainda me deu mais força para continuar.

Fonte: Run 4 FFWPU
Passei a meta e logo veio alguém da organização dar-me os parabéns e colocar-me ao pescoço uma indicação de que era o 10º classificado masculino! Fiquei tão contente com a prova que durante um bom tempo pensei que o tem que fiz, 52m06s, era o meu recorde pessoal à distância. Foi então que fui ver e verifiquei que o meu recorde pessoal era de 51m26s... na corrida dos Sinos do ano passado! As endorfinas dão-nos cabo da cabeça!

Fonte: Run 4 FFWPU
Para melhorar a minha manhã, a Associação Vale Grande fez fez um excelente 4º lugar por equipas, subindo assim um lugar face ao ano anterior. Para o ano é para o 3º lugar, sem dúvida!

E agora? Agora vai ser um belo mês a treinar, esquecer as provas por umas semanas, dedicar-me a outras coisas da vida. Mas os treinos... vão estar sempre lá!

Resultados: 36ª Corrida dos Sinos

6 comentários:

  1. Muitos parabéns Vitor! Sempre em grande!!!

    O vento complicou, sim. E era frio.

    Gostei particularmente da frase "Sim porque na estrada e na frente também existe um bom espírito para quem duvida disso!".
    Há falsidades que repetidas tantas vezes parece que se tornam verdades absolutas mas não passam de falsidades. E o curioso é que são ditas por pessoas que nem andam lá. Por isso foi bom teres escrito isso. Que sei ser verdade. Basta ter olhos na cara :)

    Grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado João!

      Obrigado por reconheceres o que disse. Muito mais poderia dizer que ia surpreender muita gente mas a verdade é que nem vale a pena pois as pessoas vão continuar a dizer o que querem e o que pensam sem conhecimento de causa.

      Um abraço

      Eliminar
  2. Parabéns Vítor, tanto pelo desempenho individual como pelo resultado da equipa. E foi um prazer conhecer-te pessoalmente.

    Partilho a opinião do João, essa frase é muito importante para ajudar a desmistificar alguns conceitos errados que andam por aí.

    Grande abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim já era tempo de nos conhecermos pessoalmente! Obrigado!

      Vamos falando. Um abraço!

      Eliminar
  3. Grande prova Vitor. Muitos parabéns e força aí para a próxima.
    Abraço

    ResponderEliminar