Treino Intervalado

Recentemente dei por mim a pensar que leio e pesquiso sobre muitos temas ligados à corrida/atletismo e que então porque não fazer alguns posts sobre esses mesmos temas? O primeiro tema que vou abordar é o treino intervalado. Não é um mero acaso a razão pela qual vou falar deste tipo de treino, pois no último sábado voltei a fazer um treino deste tipo (um fartlek levezinho). O objetivo não é recriar definições, ou seja, com este (e futuros) post(s) apenas irei reunir informação sempre com a fonte devidamente identificada.

Definição: O treino intervalado é muito versátil no que respeita à organização da carga que varia conforme as adaptações funcionais pretendidas, o que o torna num método de treino da resistência muito utilizado em todas as modalidades e principalmente no atletismo. Uma das suas principais características está relacionada com os períodos de repouso que não permitem a recuperação completa dos parâmetros cardio - circulatórios e ventilatórios (princípio da carga lucrativa).

Objectivos: A grande versatilidade deste método de treino permite que seja utilizado para o desenvolvimento dos vários tipos de resistência. Contudo, é principalmente utilizado para o desenvolvimento da potência aeróbia, capacidade láctica e potência láctica (neste caso principalmente com a utilização do método intervalado intensivo).

Trocando a “coisa” por miúdos, o treino intervalado consiste em intervalar a corrida intensa (perto do limite físico e respiratório) durante um curto período de tempo, com um período também curto de descanso que pode ser parado, a andar ou no chamado “trote” (período de recuperação). No que é que este tipo de treino ajuda? Melhoria na resistência e velocidade que a corrida contínua não consegue oferecer. Para quem gosta de temas como “perder gordura”, este é o tipo de treino que faz essa coisa abominável desaparecer muito mais depressa. 

O treino intervalado divide-se em duas vertentes: intensivo e extensivo. Estes dois métodos distinguem-se em intensidade e volume, sendo como os próprios nomes indicam o treino intensivo em menor volume com mais intensidade, e o extensivo com maior volume e menos intensidade (semelhante ao conhecido fartlek, que difere principalmente do tipo de piso em que é praticado).

As variáveis que estão intrinsecamente ligadas ao treino intervalado são a intensidade, a pausa, o volume / distância:

- Intensidade - Esta deve variar tendo em conta a distância utilizada, número de repetições e tempo de recuperação, objetivo do treino, e ainda variáveis mais subjetivas para o corredor comum como o recorde pessoal e ainda o período da época em que este se encontra.
- Pausa - O intervalo entre os períodos intenso não pode ser completo, ou seja, a recuperação não deve ser completa para o corpo manter a intensidade do esforço durante o treino. Existem dois tipos de de intervalo: o ativo em que existem um exercício de intensidade muito baixa para ajudar na recuperação (baixando assim o ácido láctico acumulado nos músculos) e o passivo em que as pausas são mais curtas e em que se potencializa o acumular do ácido láctico nos músculos.
- Volume / distância - Aqui define-se realmente se o treino vai ser intensivo ou extensivo. Não sendo dados absolutamente definidos, as distâncias podem ser definidas nas seguintes categorias:
    - Curta Duração (15" a 55") –100 a 300 metros.
    - Média Duração (55" a 2.30') – 400 a 800 metros.
    - Longa Duração (2.30' a 10') –1000 a 3000 metros.

Exemplos dos dois métodos de treino:

- Intervalado Extensivo: 12 x 200m (45” de recuperação)
- Intervalado Intensivo: 6 x 200m (90” de recuperação)
- Intervalado Extensivo: 10 x 400m (60” de recuperação)
- Intervalado Intensivo: 3 x 1000m (5’ de recuperação)
- Intervalado Extensivo: 5 x 1000m (2.30’ de recuperação)

Para mim, existe ainda um fator psicológico associado ao treino intervalado. Ir para uma pista com um objetivo bem definido, libertar toda a energia que existe acumulada nos músculos, ver os tempos diminuírem a cada série que passa, e fazer isto com companhia que nos faça dar o nosso melhor para não ficar para trás, é simplesmente algo que a corrida contínua não pode oferecer. 

Mas seja na pista ou em outro piso qualquer, experimentem os benefícios deste tipo de treino e não se irão arrepender.

Fontes utilizadas:
- Métodos de Treino de Resistêncua de António Graça
fartlek
março 24, 2014
5

Comentários

  1. Interessante....eu não tenho pista por perto para treinar, tb não tenho zonas muito planas. Mas faço os Intervalados ou Series na mesma...umas vezes apanho subidas e outra descidas, pelo que o ritmo varia um pouco. De uma coisa não tenho dúvida nenhuma...foram as series que me deram mais resistência e mais velocidade. Hoje eram 6 da manhã e lá fui fazer 6x800 a 4,15min/km com 3min intervalo....já não fazia series à uns 2 meses, tive alguma dificuldade mas lá se fizeram...para a semana há mais.
    Obrigado pela informação.
    Abraço e boas corridas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu como regressei à poucos meses aos treinos e ainda não decidi se volto aos treinos de pista "à séria", decidi começar a fazer treino intervalado duas vezes por semana para voltar a esticar estes músculos. Tudo em estrada :) Amanhã vou voltar a fazer para ver como me sinto, mas o percurso já vai ter grandes declives, vai doer!

      Abraço

      Eliminar
  2. Sem dúvida o meu tipo de treino favorito. Não só porque quebra a monotonia mas porque realmente resultam! Evolui muitissimo quando os comecei a fazer. Como não tenho pista nem marcações de distancia na estrado faço intervalos de tempo duas vezes por semana.E agora é que me estou a aperceber que um deles é extensivo e outro intensivo eheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu para voltar a fazer este tipo de treino também vou começar (aliás já comecei) a fazer intervalos de tempo em estrada. É diferente, estou habituado a pista em que a liberdade e a sensação de acelerar em diferente!

      Ainda bem que o post serviu para ensinar alguma coisa :D

      Eliminar
  3. Vítor, no inicio da época (outubro, novembro e dezembro) é o que a Ermelinda nos indica para fazer. Um minuto a correr, um a descansar em trote. Vai aumentando a quantidade e depois passa para 2 minutos. fazemos sempre lá fora, sobe e desce, terra e estrada :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Search

Popular Posts

Análise Domyos T900C

Finalmente, o prometido já há algumas semanas! Fiquem com a minha análise à p…

Zurich Maratón de Sevilla 2019

Há momentos na vida em que temos de decidir aquilo que nos define. Eu felizment…

Corrida da Árvore 2015

Sabem uma coisa? Já andava ressacado com falta de provas. Apesar de ter ido aos…

2020.

Acho que estas últimas semanas conseguem refletir bem o que 2020 está a ser. Es…

MultiSport Weekend Coimbra 2021

Não sei começar este artigo. A última vez que escrevi sobre uma prova foi em 16…

Contact Me