2021.

Eu nem sei por onde pegar neste artigo. Aconteceu tão pouca coisa, que faltam-me as palavras para começar a escrever. Se 2020 foi um ano que basicamente só no primeiro trimestre é que participei em provas, em 2021 foi apenas no último. E pelo meio, aquela aventura em Coimbra.

O ano de 2021 foi basicamente um ano de treino. Mas refletindo a fundo, foi um ano de muitas outras coisas. Começou com a definição de ir à maluqueira que foi MultiSport Weekend Coimbra 2021. Foi uma experiência que valeu pelo caminho até ao dia da prova. Foi a primeira vez que segui uma rotina de nutrição. Atingi resultados incríveis neste campo, e senti-me como nunca. Também consegui derrotar uma lesão semanas antes da prova. Se me afetou para a prova? Eu sei lá. Tendo em conta o que a prova foi, acho que teria dado merda de qualquer forma. Nem que eu tivesse preparação física para fazer 2h20m à maratona.

Uns meses depois decidi aceitar mudar da cor verde para a cor azul, e assim me juntei ao Belenenses. Um grupo fantástico no qual ainda me estou a integrar! E com isso também vieram o regresso às provas. Mais uma vez voltei a seguir uma rotina de nutrição, mas de uma forma mais descontraída. Fiquei a conhecer o meu corpo com a primeira experiência na primeira metade do ano, e assim consegui controlar mais facilmente o que funciona melhor e pior para atingir os resultados desejados.


Esse maior controlo da nutrição aliado a umas excelentes semanas de treino, resultaram num resultado que o Vitor de há quase 10 anos julgava impossível: 32m27s no Grande Prémio de Natal. Se é um recorde pessoal ou não, deixo essas discussões para o Facebook. Que a marca fica no meu histórico, isso fica com certeza.

E é isto. Na verdade o treino dos meus últimos meses foi projectado para dia 31 de Dezembro, para a minha prova predilecta São Silvestre da Amadora. Mas graças à pandemia (dois anos desta merda) tudo cancelado outra vez. Sabe o Deus das corridas durante quanto tempo e se vão voltar brevemente.

Claro que não posso deixar de falar sobre as minhas aventuras pelo YouTube. Durante a primeira metade do ano, lancei praticamente um vídeo por semana, e adorei a experiência. Aprendi muita coisa! E verdade seja dita que se nunca desprezei o trabalho feito pelos "YouTubers", comecei ainda respeitar mais o trabalho dos mesmos. Se tiverem interesse, podem espreitar aqui. Se vou voltar a fazer vídeos? Vontade não falta... falta é o tempo!

Para 2022, se esta merda que nos lixa a vida deixar, o objetivo é continuar a apostar no máximo até à meia-maratona. Quero pelo menos repetir uma prova de 10km na casa dos 32 minutos e se houver oportunidade melhorar a minha marca à meia. E é isto. Parece que estou a ser pouco ambicioso mas acho que principalmente para quem anda fora deste mundo nem sonha o que isto vai custar. E se sequer é possível para mim. Veremos.

Um Bom Ano para todos! Bons treinos e acima de tudo divirtam-se a correr. Isso é sempre o mais importante!

2021
janeiro 10, 2022
2

Comentários

  1. Que esta merda de pandemia vá de vela de vez e que nos deixe viver normalmente. Muita saúdinha que o resto a malta conquista. Abraco

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Search

Popular Posts

Análise Joma R.3000

Não há dúvida que a palavra carbono veio revolucionar o mercado dos ténis . Des…

A minha experiência com as famosas placas de carbono - Parte 2

A vida é feita de experiências. Estas experiências são o que nos moldam a perso…

Parei um treino a meio e estou bem com isso

Nós atletas somos obcecados. Ora seja com tempos, com horários de treino, com a…

Comprei um telemóvel para levar nos treinos

Sim eu sei isto é um artigo com um título no mínimo estranho. Mas acredito que…

Análise Kiprun Ultralight

O meu início no mundo da corrida a nível de calçado começou como tantas outras …

Contact Me