Campeonato Nacional de Clubes - Apuramento

Vocês já estão fartos de me ouvir falar do Campeonato Nacional. Mas pronto, este blog nasceu como um lugar de escrita, e assim tem de se manter. O canal do YouTube é só um apêndice deste blog. Um apêndice bastante trabalhoso mas divertido de se fazer! E por falar nele, tenho que agradecer a todos os comentários que recebi no vídeo. Verdadeiramente inspiradores e motivadores para me fazer querer continuar a fazer mais e melhor neste meu cantinho da internet. Não costumo pedir isto, mas se puderem subscrevam o canal e ajudem-me a chegar a mais pessoas: Aquele que Gosta de Correr - YouTube.

O dia do Campeonato foi estranho. Aliás, qualquer dia em que tenho uma prova da parte de tarde (ou à noite), é estranho. O facto de não ter a "preocupação" de treinar de manhã mas ao mesmo tempo estar com o bichinho para ir correr mais tarde, deixa-me num estado manifestamente... estranho. Fui para o Estádio Universitário mais cedo do que o normal, para poder respirar um pouco o ambiente de uma tarde cheia de provas de atletismo. Se essa parte foi verdadeira, já aquela parte do miticismo de correr no Estádio de Honra, morreu na praia. Mesmo sendo a fase de apuramento, fazer as provas numa pista de treino, sem lugares para quem está a assistir, e ter que estar toda a gente (atletas incluídos) amontoados na relva, desculpem, mas é vergonhoso. Haja dinheiro para o futebol que é o que interessa.

Mesmo com tanto tempo, graças a conversa e mais conversa com quem estava por ali (principalmente o meu treinador), consegui submeter-me à pressão de ter que ir aquecer à pressa. Foram 15 minutinhos bem "esgalhados" pelos trilhos da Estádio Universitário. Já tinha saudades de correr por ali! Casa de banho, andar perdido para fazer a apresentação câmara de chamada, e dar a entrada em pista. Ali pude fazer umas retas, e ter o prazer de correr lado a lado com o Rui Pinto. Isto foi algo que eu não contava, ver este tipo de atletas de peso a nível nacional. Claro que algo assim só pode surpreender quem não tem a minima experiência nestas andanças.


Sinal de partida! Nos primeiros 200 metros desenhou-se facilmente como iriam ficar os "grupos" de andamento pelo menos nas primeiras voltas. Eu naturalmente se dei os primeiros passos com os mais rápidos, depressa fiquei para trás do primeiro grupo. Seguia um atleta atrás de mim, o que me ajudou nos cerca de primeiros 1.000m. Mas o que me ajudou mais durante toda a prova foi o meu treinador a dizer-me os tempos e a dar-me motivação (se virem o vídeo da minha prova percebem bem isso). O André foi incansável, principalmente quando se deu algo que nunca me aconteceu: o meu relógio reiniciou sozinho por volta dos 500m. Se isto é importante numa prova de pista? Não quando tens o teu treinador a dar-te os tempos. Se me distraiu um pouco? Confesso que sim. O relógio, mesmo em pista, acaba por ser um indicador (mesmo que não exato) do ritmo a que vamos. E naquele momento só me apetecia tirá-lo do pulso e atirá-lo para a porra que o pariu. Mas achei que iria ser uma atitude de drama queen, e o dinheiro custa-me a ganhar.

Apesar de não ter o histórico da prova (no shit Sherlock), a primeira metade da prova foi onde estive mais rápido e próximo do meu apenas teórico objetivo: 15m30s. Podia dar aqui várias desculpas: algum calor e vento em parte da pista. Mas isso estava lá para todos. Agora algo que não me iria fazer cumprir os 15m30s, me invalidou qualquer andamento mais rápido foi o facto de fazer a prova sozinho. O atleta que seguia atrás de mim depressa ficou para trás e depois foram voltas e mais voltas sozinho na pista. Apenas a penúltima foi a exceção, com o Rui Pinto a apanhar-me na entrada para a sua última volta. 

A segunda parte da prova foi de sofrimento autêntico. Quem me viu de fora disse que se via pela minha cara que estava completamente num ritmo desconfortável. Mas claro, era também esse o objetivo. Mas nem imagino qual terá sido a minha real quebra. Mas para terminar com média de 3:11/km, e saber que fiz ainda algumas voltas bem abaixo dos 3:10/km... enfim. Se não me deixei cair ainda mais foi graças ao apoio do André, do Luis Machado (com quem tenho partilhado alguns treinos já há algum tempo e autor das fotos deste artigo) e de todos os atletas e representantes do Belenenses que estavam presentes. Muito obrigado a todos! 

Naquele dia cruzei a meta em 5º lugar e 19º a nível nacional. Consultando agora os resultados, após alguns acertos e desclassificações, fiquei em 4º lugar em Lisboa e 17º a nível nacional. Não tenho nada que reclamar desta classificação. E o clube? Os Belenenses cumpriram o seu objetivo e de se classificar para a final (2ª divisão). Muitos parabéns a todos!

Quanto ao tempo, esse cifrou-se nuns, e posso agora dizer depois do incêndio que esteve na minha cabeça durante umas horas, agradáveis 15m55s. Sim o objetivo delineado eram 25 segundos a menos. Após uma boa conversa com o meu treinador, facilmente chegámos à conclusão que foi irreal pensar nesse tempo. Não tenho experiência em pista (sejamos honestos, as minhas experiências de 2013 não contam para nada), apenas fiz um bloco de 4 semanas mais focado neste tipo de prova, e acabaram por existir condicionantes na prova que invalidariam este objetivo facilmente. Mas um objetivo bem mais real, teria sido 15m45s. Outra estratégia, e uma ambição mais realista, teriam com certeza dado mais frutos. 

Mas agora posso dizer que estou contente. Por mim e principalmente pelo clube. Mas ainda estou mais contente com o meu próximo objetivo. Fogueiras, aqui vou eu!

Resultados: Campeonato Nacional de Clubes - Apuramento (5.000 metros) Lisboa - Nacional

Gostaram do artigo? Apoiem o blog comprando aqui o vosso material desportivo.

Campeonato Nacional de Clubes
maio 31, 2022
0

Comentários

Search

Popular Posts

Análise Joma R.3000

Não há dúvida que a palavra carbono veio revolucionar o mercado dos ténis . Des…

Parei um treino a meio e estou bem com isso

Nós atletas somos obcecados. Ora seja com tempos, com horários de treino, com a…

Comprei um telemóvel para levar nos treinos

Sim eu sei isto é um artigo com um título no mínimo estranho. Mas acredito que…

A minha experiência com as famosas placas de carbono - Parte 2

A vida é feita de experiências. Estas experiências são o que nos moldam a perso…

Análise Kiprun Ultralight

O meu início no mundo da corrida a nível de calçado começou como tantas outras …

Contact Me