Campeonato Regional de 5km


Existem factos que acontecem na nossa vida que realmente se tornam engraçados de analisar. Há seis meses atrás, fui desafiado pela direção do Belenenses a fazer os 5.000m para ajudar o clube para o Apuramento do Campeonato de Clubes. Foi uma prova agridoce, em que fiquei com a sensação que podia ter feito melhor. Vejo agora que essa prova poderá ter mudado a forma como encaro o treino, nutrição, e até a forma de estar no atletismo no geral. Desde que fiz todo o bloco de preparação para esses 5.000m, que existem que ritmos que me saieem de forma mais natural, e talvez de uma forma que nunca pensei que saíssem na vida. E é assim, com toda a sinceridade, que encaro quase sem surpresa a prova que fiz hoje.

Hoje foi o dia de correr 5km, exatamente ao lado de onde então fiz os 5.000m em Maio. Quando me disseram que os 5km iriam ser às voltas do Estádio Universitário, pensei que estavam loucos. Mas depois encarei a coisa com outros olhos. Psicologicamente sabia que iria estar preparado, afinal é um dos meus locais preferidos para fazer treinos intervalados fora da pista. Estas provas que se passam numa zona muito mais restrita, permitem uma maior calma no antes e depois da prova. Temos o equipamento todo junto da equipa, equipamos com calma, convivemos sem correrias, enfim, tem um lado muito positivo.

Depois de um bom aquecimento (bolas, já nem me lembrava do que era aquecer com calma e tempo antes de uma prova), e de ver que a minha mais que tudo tinha saído a tempo do trabalho a tempo de me ver, foi altura de ir para a linha de partida. Sentia-me bem e preparado para os ritmos loucos que ai vinham. A semana de tapering foi feita como mandam as regras, e por isso tinha que estar obrigatoriamente bem fisicamente. Partida dada! E estranhamento… nada de ritmos loucos. Deixei alguns atletas irem para a frente, mas rapidamente percebi que o ritmo estava a ser demasiado controlado. Estava demasiado confortável e decidi ir para a frente do bloco da frente.




Apesar do risco que estava a tomar logo no início, foi um risco controlado. Sem me preocupar com olhar para trás, confiei no meu ouvido, e segui a ritmo estável (3:15/km nesta altura) para não estar a arriscar em demasia. Por esta altura, houve ainda um atleta que fez algumas tentativas de se colocar ao meu lado, e passando-me até 1 ou 2 vezes. No entanto, bastou aumentar um pouco ritmo para lentamente começar deixar de ouvir algum tipo de passada atrás de mim.

Um dos ditados que eu mais gosto na vida é “Fia-te na Virgem e não corras”. E foi isso mesmo que eu fiz. Em provas curtas não podemos controlar em demasia, sob o risco de aparecer algum atleta mais rápido vindo de trás que rapidamente nos ultrapassa e acabamos por ficar sem capacidade de reação. Portanto, deixei-me ir num ritmo “confortável” até aos 2,5km e depois decidi arriscar um pouco mais e subir o ritmo. Olhando para o registo do meu Garmin, aparentemente passei para um ritmo médio de 3:00/km… honestamente nem consigo acreditar que estava a andar a estes ritmos tão naturalmente.


Sem mais grande história, à entrada para as últimas 2 voltas (eram 8 no total), decidi que estava na altura de puxar à séria para não arriscar um cenário como o que acabei de descrever. Se me tinha conseguido manter na frente durante toda a prova, não era agora que queria deixar de perder a oportunidade de dedicar a prova à minha fã especial de hoje.

Passei então a meta com de 15m53s, ficando em 1º classificado do escalão sénior e em 1º de todo aquele bloco (Jun/S23/Sen/M35). Como perceberam pela minha descrição, foi uma prova em que me senti confortável do início ao fim. Fiz um melhor tempo que em Maio por 2 segundos (15m55s), sendo que em Maio foi uma prova em pista e hoje se nos fiarmos no Garmin, deu 5,2km. São pequenas observações, mas que demonstram que em Maio deveria ter feito melhor, mas que no fundo foi tudo um processo de aprendizagem, tal como referi no início deste texto. Como cereja no topo do bolo, fomos campeões regionais masculinos por equipas! 

Os seniores aparentemente tinham fugido todos já :D
Agora seguem-se duas semanas até ao Campeonato Nacional de Corta-Mato na Amora! Vamos lá continuar a treinar com juízo e esperar que os resultados continuem a corresponder ao trabalho feito!


Campeonato Regional de 5km
novembro 13, 2022
4

Comentários

  1. Geralmente temos sempre melhores marcas fora da pista! Pode parecer um contrasenso mas é a realidade. Falo por mim 😃
    Parabéns pelo resultado campeão!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não somos versados para a pista, está visto eheh obrigado!

      Eliminar

Enviar um comentário

Search

Popular Posts

Análise Joma R.3000

Não há dúvida que a palavra carbono veio revolucionar o mercado dos ténis . Des…

A minha experiência com as famosas placas de carbono - Parte 2

A vida é feita de experiências. Estas experiências são o que nos moldam a perso…

Parei um treino a meio e estou bem com isso

Nós atletas somos obcecados. Ora seja com tempos, com horários de treino, com a…

Comprei um telemóvel para levar nos treinos

Sim eu sei isto é um artigo com um título no mínimo estranho. Mas acredito que…

Análise Kiprun Ultralight

O meu início no mundo da corrida a nível de calçado começou como tantas outras …

Contact Me