A importância do sono na corrida

Este artigo vai ser na verdade um acto de auto reflexão. Vou discutir o papel incrivelmente importante que o descanso tem na nossa performance na corrida, mas eu sou um dos piores exemplos nesta vertente. A minha média de horas dormidas está bem longe das famosas 8 horas diárias, e na verdade até abaixo das 7 horas. Sim é verdade que se começa a desmistificar que nem todo o ser humano é igual e que nem todos precisam de dormir o mesmo para viver saudavelmente e em plenas faculdades mentais. Mas quando falamos de desporto, a história é diferente. 

Sejamos amadores ou profissionais existe algo que nós queremos saber sempre: como é que eu recupero melhor para poder correr mais? Para explicar a importância do sono, primeiro vamos olhar para as fases do sono:

Fonte: Sono normal e distúrbios do sono (spneonatologia.pt)

A fase que nos interessa mais é a três. É nesta fase que os tecidos são reparados, a hormona do crescimento é libertada. A hormona do crescimento ajuda a estimular o crescimento (dah!), e o crescimento e regeneração celular. E para quem corre para manter a linha, esta hormona é responsável também pela ajuda na manutenção da gordura corporal baixa e ao mesmo tempo, tal como disse antes, a manter e aumentar a massa muscular. 

Portanto, se nos esforçamos tanto durante os treinos, que sentido faz depois desprezar das coisas que mais ajudam a recuperar e a melhorar para o próximo treino? Não faz sentido pois não? E sim, quanto mais treinamos, mais precisamos de dormir!

E se não dormirmos o suficiente? Não vou falar sobre o que toda a gente sabe e das doenças que isso potencia (diabetes, doenças cardiovasculares, etc, etc). Mas claro, também sabem bem o que vou dizer: a falta de sono potência o aparecimento de lesões. E claro que é fácil de perceber o porquê, se não estamos a potenciar a regeneração, como queremos recuperar das micro roturas e inflamações que o próprio treino causa? Em casos mais graves, pode ser também uma “bela” ajuda para o aparecimento do over-training. 

E o contrário? Se bem se recordam, eu já tinha falado neste artigo dos efeitos da corrida na qualidade do sono. E ai talvez eu seja um bom exemplo, pois a única coisa que me consegue atrapalhar o sono é uma digestão difícil (ou seja, andar a comer o que não devia durante o dia). De resto, pode estar cair o Carmo e a Trindade na minha vida que consigo dormir bem. 

Existem mil dicas por essa Internet fora sobre aumentar ainda mais a qualidade do sono, mas para mim aquela que funciona mesmo é dormir em completa escuridão. Se dormir com luz a sair pelas janelas (sim hotéis estou a olhar para vocês), aos primeiros sinais do amanhecer, está tudo estragado. A rotina nas horas de deitar e acordar também acaba por ser também muito importante! E uma última dica, é a posição em que se dorme. Aqui não vai propriamente influenciar a qualidade do sono, mas ajuda em não estarmos numa posição incomoda para os nossos músculos. E sim, a posição que mais vai ajudar aqui é a posição fetal (ou de barriga para cima). E o ideal até era dormir com uma almofada no meio das pernas, mas esta já não consigo fazer infelizmente.

Fonte: Etc e Tal por Osanilde Oliveira

A verdade é que diversos estudos dizem que nós corredores precisam de dormir mais do que as pessoas mais sedentárias. Se não o fazemos, estamos a “jogar” contra nós próprios e a prejudicar a nossa forma atual e os nossos próximos objetivos. Por isso, pela vossa saúde e pelo vosso rendimento desportivo, durmam. Muito e com qualidade se possível.

Gostaram do artigo? Apoiem o blog comprando aqui o vosso material desportivo.

recuperação
dezembro 8, 2022
0

Comentários

Search

Popular Posts

Análise Joma R.3000

Não há dúvida que a palavra carbono veio revolucionar o mercado dos ténis . Des…

O melhor (não) equipamento que comprei nos últimos tempos!

Sempre fui da equipa papel de jornal. Esta foi provavelmente a frase mais estra…

A minha experiência com as famosas placas de carbono - Parte 2

A vida é feita de experiências. Estas experiências são o que nos moldam a perso…

Análise Kiprun Ultralight

O meu início no mundo da corrida a nível de calçado começou como tantas outras …

Uma aventura com os Adidas Adizero Boston 10

Chamem-me forreta, somítico, mesquinho ou sovina. Se há coisa que eu coisa que …

Contact Me