Análise Nike Pegasus 39

Eu tenho uma opinião muito própria sobre o calçado da Nike. Essa opinião foi formada pelas dezenas de pessoas que me deram feedback ao longo dos anos e pela minha própria experiência. Por um lado o feedback que tenho sobre tudo o que é calçado da Nike é que a durabilidade, e mesmo qualidade, é bastante limitada (para mim modelos de treino que nem duram 600km em boas condições). Por outro lado, dou a mão à palmatória pois a minha experiência com a Nike foram uns Pegasus 32, que apesar de os ter elogiado bastante (41€ por uns ténis… bons velhos tempos) na análise, ao fim de 400km tive que os pôr de lado porque começaram a fazer-me dores nos joelhos, coisa que nunca me tinha acontecido e nunca mais me aconteceu com nenhum modelo e marca até hoje.

Depois de me ter rendido aos famosos Vaporfly, comecei a olhar um pouco mais de perto para a oferta da Nike hoje em dia. O sucesso da marca com a famosa placa de carbono, parece que teve o efeito de haver mais pessoas novamente a experimentar todos os seus outros modelos e há uns meses dei por mim a olhar para os Pegasus. Acabei por não comprar, mas recentemente o meu amigo Luis Machado comprou uns, e passado umas semanas claro que eu próprio por coincidência tinha de os apanhar em promoção. Com o feedback do Luis, acabei a fechar os olhos e 6 anos depois voltar a comprar uns Nike para treinar. E honestamente, até agora não podia estar mais satisfeito!


Os Pegasus são dos modelos mais icónicos de corrida da Nike e existem atletas que têm uma paixão “louca” por eles. Mas nem todas as iterações são perfeitas, um pouco como a minha experiência com os Saucony Kinvara. Sempre adorei todos os modelos, mas os Kinvara 12 (que acabei por nem fazer análise), desiludiram-me muito. Eu não tenho a experiência das últimas iterações dos Pegasus, mas segundo consta pelo que tenho lido, este modelo é mais leve e tem uma melhor resposta que a iteração 38. Portanto, parece que voltei aos Pegasus na altura certa.

Uma coisa que nunca foi um problema para mim, é o design da Nike. Confesso que adoro o aspecto destes Pegasus 39. Aliás, espero que não se estraguem muito no tempo vida útil (ou seja, enquanto forem bons para correr) para os poder depois usar casualmente. A nível de construção parecem-me robustos e terem boa qualidade a nível de acabamentos. Parecem-me a milhas de distância neste campo em relação a uns Vaporfly por exemplo. E mesmo tendo esta robustez de materiais, as minhas sensações é que a respirabilidade não foi afetada, não aquecendo em demasia o pé em dias mais quentes e acrescentando um conforto extra nestes dias mais frios que estão a começar. E o conforto é qualquer coisa de fantástico. Adoro tê-los calçados!

A sola conta um drop anunciado de 10mm (sites da especialidade fizeram medições e dizem que tem 8mm). É um pouco mais do que aquilo que estou habituado, mas como já disse neste artigo, é algo que não me preocupa. Em utilização, a passada é algo firme (não tem um amortecimento tão pronunciado como uns Novablast por exemplo) mas bastante confortável. Percebe-se logo que não são um modelo para aqueles treinos lentos, com as suas características a virem ao de cima em treinos com um ritmo mais vivo e até para tempo runs e fartleks se quiserem terem um modelo para vários tipos de treino. Para terem noção, no tamanho 41 o seu peso é cerca de 250g.


Algo que não estava à espera e que sabem que costuma ser um dos meus pontos mais críticos, foi a aderência. Já treinei várias vezes com eles em pisos molhados e nunca senti insegurança em qualquer momento. Surpreendente mesmo.

Este artigo já vai longo e já perceberam que não tenho um único ponto negativo a apontar a estes Pegasus. A única coisa que ainda não posso dizer com clareza é a sua durabilidade, mas neste momento com mais de 100km, a sola parece nova o que me parece uma boa indicação. 


Concluindo, parece-me um excelente modelo para quem quer um calçado que tanto lhe permita treinar como fazer umas provas. Ainda por cima por pouco mais de 80€ em promoção, numa altura que começa a ser raro encontrar bons modelos abaixo dos três dígitos, são quase um no brainer. Se vou começar a apostar mais na Nike? O futuro o dirá. Por agora sei que vou desfrutar ao máximo destes Pegasus 39.


Pontos Positivos
++ Preço (em promoção)
+ Conforto
+ Respirável
+ Aspecto
+ Amortecimento
+ Peso
+ Aderência

Pontos "assim-assim"
+- Não aconselháveis para dias lentos

Ponto Negativos
Nada a apontar









análise
novembro 7, 2022
2

Comentários

  1. Por que motivo não são aconselháveis para dias lentos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sola é algo dura para estar a "pastelar" :) e pelo menos quando eu corro mais lento, gosto de ter um pouco mais de amortecimento!

      Eliminar

Enviar um comentário

Search

Popular Posts

Análise Nike Pegasus 39

Eu tenho uma opinião muito própria sobre o calçado da Nike. Essa opinião foi fo…

Análise Kiprun KS900

Esta época faz 10 anos que comecei a levar esta coisa da corrida um pouco mais …

Análise Joma R.3000

Não há dúvida que a palavra carbono veio revolucionar o mercado dos ténis . Des…

Análise Kiprun KS900 Light

Existem modelos que nos caem no goto. Durante anos a fio, para treinar fui um a…

Análise Kiprun KD900X

Acredito que este seja um dos artigos mais esperados desde que tenho este blog,…

Contact Me